Relatos

|
Temporariamente, relatos em inglês estão disponíveis no site QuitPaxil.org. Estou traduzindo alguns relatos do QuitPaxil e colocando nesta página. Por favor, peço que se você esteja enfrentando uma situação parecida, deixe também um comentário, que pode ser anônimo. Seu relato pode ser muito importante para outras pessoas.

Do site QuitPaxil:
Aqui você vai encontrar uma amostra das milhares de cartas que tenho recebido através dos anos. Elas tem o intuito de servir como exemplo de correspondência recebida e irão, com esperança, espelhar a variedade de visitantes que vêem estas páginas todos os dias.

As traduções foram feitas de maneira a tentar preservar o máximo possível dos textos originais, porém tratando-se de traduções, nem sempre isto é possível. Lembre-se de que estas cartas foram inicialmente enviadas ao site original QuitPaxil.info e não à este site, e o autor autorizou a traduzi-las. Notas de tradução foram inseridas entre [colchetes].



Olá a todos. Sou um francês de 29 anos que esteve tomando a paroxetina por cerca de 4 anos (dose entre 20 e 40mg). Já havia tentado duas vezes me livrar da droga sem sucesso. Tive os desconfortáveis choques, raiva e o retorno dos sentimentos depressivos.

Eu preciso dizer que a paroxetina (chamada de Deroxat na França) me ajudou em muito a primeira vez que comecei a toma-lo, e não acho que nada mais poderia ter me ajudado naquela epoca. Então eu acho que provavelmente o tomaria de novo se me dessem a escolha. Os sintomas da descontinuação são aparentemente um preço a se pagar, infelizmente... Talvez estes sintomas nos façam relembrar que uma cura completa nos requer muita força e perseverança.
É muito estranho: a maioria dos efeitos colaterais aparece na descontinuação e não durante o tratamento. Este fato me deixou desconfortável, me deu ainda mais razões e uma motivação para parar. Será que uma medicação dessas é inofensiva a longo prazo?

Então, eu falhei duas vezes e agora estou na minha terceira tentativa de abandonar o Deroxat.

Eu parei muito bruscamente as duas primeiras vezes, de 20mg à 0mg em 4-6 semanas. Muito rápido pra mim. Claro que isso é uma questão individual, algumas pessoas precisarão de mais tempo outras menos... Mas de qualquer jeito tome cuidado, seja paciente... meu novo plano é, um mg a menos cada semana, nos sábados, com a forma líquida. Comecei a 6 semanas atrás, estou agora nos 24mg. Parece bom pra mim. Estou 95% livre de sintomas!

Pratico vários exercícios: caminhada, ginástica, bicicleta... tenho refeições saudáveis, descanso muito também. Eu sei que será uma estrada longa até os 0mg mas eu tenho certeza de que desta vez vai funcionar.



Estou tão contente que encontrei este site [o QuitPaxil.info]. É de enxer o coração ouvir história, após história, após histórias de outros que também sofreram com os efeitos colaterais desta droga horrível. Deixe-me começar dizendo que estou escrevendo pela minha sogra de 91 anos. A jornada dela começou semanas atrás quando ela foi internada no hospital por "dores nas costas". Ela foi receitada com Darvocet e Zanax. Após uma semana sem a dor passar, o mesmo hospital receitou Lortab no lugar das outras. Quando ela vez sua terceira viagem, o doutor decidiu interna-la de novo e retirar as drogas para "limpa-la". Sem nós sabermos eles também a retiraram de todas medicações, sim, incluindo a paroxetina [que ela tomava]. Logo após ela começou a ter sonhos pesados que se misturaram aos "sonhos acordados" dela. Ela não podia comer, dormir, falar ou andar. Em uma visita para a ver ela nao sabia mais que meu era. Quando ela finalmente percebeu o engano, lágrimas encheram seus olhos... Ela olhou para mim e sussurou... "Eu acho que estou perdendo a sanidade". Com lágrimas nos olhos ela me disse para tomar conta de seu filho e para amá-lo para sempre (Eu só posso concluir que ela estava pensado que ia morrer). Isso continuou por muitos dias. Ela não conseguia mais se lembrar se era 2005 ou 1955. O olhar de "medo extremo" se o fim, realmente, estava chegando para ela. Nós nunca havíamos a visto tão confusa. O médico não conseguia nos dizer de onde esta crise inprecedente de dementia poderia estar se originando. Ele nos disse para a por num asilo e esperar pelo melhor. Se nós soubéssemos que ele havia tão mundanamente retirado ela da paroxetina... nós poderíamos ter impedido ele ou estar melhor preparados para esta mudança repentina e ajudado ela a lidar melhor com a situação.



Irmão, você não tem idéia do quanto seu site acalmou a minha mente. Eu pensei que estava morrendo na última noite. Eu estava tendo pesadelos muito fortes. Além disso quase parecia que eu tinha um ataque de pânico no meu sonho. E toda vez que eu voltava a dormir eu sentia os choques e começava a perder uns parafusos. É tão verdade sobre "pensar que você está perdendo a sanidade". Foi muito estressante. Eu estou a 1 semana e 4 dias sem tomar nada. Com esperanças tudo vai bem.



Sou um professor universitário a quem foi prescrito a paroxetina para depressão clínica há dois anos atrás. Comecei com 20mg a maior parte do tempo e baixei para 10mg por alguns meses. Para tentar e se livrar [da droga] eu cortei para 5mg o que foi inicialmente difícil mas após um mês eu já havia superado. Agora eu estou no meu sétimo dia sem a paroxetina me perguntando quando o "sloshing" na minha cabeça vai passar.
Seu site [o QuitPaxil.info] tem sido uma ajuda tremenda para mim. Meu doutor queria que eu parasse de vez em 10mg o que eu talvez seria tolo o bastante para tentar se eu não tivesse encontrado seu site. Agora eu sei que isso poderia ter sido um desastre. Você [o autor do QuitPaxil.info] está ajudando a muitas pessoas, então muito obrigado.

225 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   1 – 200 de 225   Recentes›   Mais recentes»
MX disse...

Gostei muito do seu blog, parece que somos irmãos gêmeos com a única diferença, tomava paroxetina por ter Sindrome do Pânico e eu não descontinuei, simplesmente parei de tomar já tomava há meio ano, senti os mesmos sintomas que você, tontura, calafrios, principalmente demanhã, porém para mim foi mais fácil, pois até descobrir que eu tinha Sindrome do Pânico foi uma saga, Neurologista, Cardiologista, Otorrino, todos durante 5 anos até chegar num Psiquiatra e descobris a SINDROME DO PANICO eue é uma CRISE DE ANSIEDADE AGUDA. Num piscar de olhos, com muita leitura a respeito do controle da mente e emocional mais a paroxetina, pois sem ela jamais conseguiria ter mudado meu conceito da vida, consegui encarar as crises que eu tinha e saber o que era até não ter tido mais.
Os sintomas desapareceram em 2 semanas, hoje não me arrependo de ter parado bruscamente o medicamento, mais não aconselho ninguém a fazer isso, eu li mais de 20 livros de controle cerebral e emocional, sabia que os sintomas eram passageiros.
Um grande abraço e parabéns pelo BLOG!!

Fernanda disse...

Eu estou tão surpresa e tão contente por encontrar esse blog! Nem tem idéia! Eu tomo Paroxetina há cerca de 4 anos (comecei a tratar depressão com psicóloga aos 15 anos, não muito depois vieram os remédios, hoje estou com 20, sinto que não são mais necessários e que está na hora de caminhar por mim mesma, mas sou obrigada a continuar por não conseguir vencer essa maldita barreira das reações à descontinuação), duas vezes antes já tentei parar, estou passando agora pela minha terceira tentativa. Das duas primeiras vezes eu tentei parar de uma vez só. Na primeira, não tinha nenhuma informação a respeito de coisa alguma e simplesmente joguei os remédios no lixo. Não aguentei 15 dias, os sintomas vieram com tudo e me deixaram apavorada. Da segunda vez, achei que estivesse grávida, fiquei com medo das implicações e parei com o remédio. Novamente os sintomas foram fortes, eu tomava 20mg na época. Lembro que primeiro veio essa sensação estranha na cabeça, aquela coisa que você sente quando mexe os olhos, junto vieram nauseas. Achei primeiro que minha pressão estava muito baixa, e essa era a causa da sensação na cabeça, e que as nauseas eram da gravidez (eu nem estava grávida, na verdade, mas mulheres grávidas tem nauseas e enjoo, e de repente eu estava sentindo aquelas coisas... como podia não ver relação?). Então meu humor começou a variar, chegou a um ponto em que... sem brincadeira, em um momento eu estava soluçando de chorar e, um segundo depois, não podia parar de rir. Não havia nada engraçado, era como se meu corpo não me obedecesse, não conseguia respirar de tanto rir e não podia parar. Isso era algo que vinha de vez em quando e ia embora em alguns minutos e que era muito assustador. Eu sabia que era a falta do remédio, não podia ser mais nenhuma outra coisa. Eu me sentia cada vez mais abatida, cansada... minha cabeça parecia doer todo o tempo, e por mais que não fosse uma dor forte, era direto, então... era muito ruim. Eu tive tonturas, e um dia, de manhã, logo depois de me levantar, senti algo que você descreveu muito bem, era como se pudesse sentir a batida do meu coração em todo o corpo... passou logo, mas ainda mais algumas vezes pude ouvir assim a batida pulsando no ouvido. Eu sei que... fiz então o exame de gravidez e deu negativo (não sabia se ficava triste ou aliviada, porque quero muito ser mãe), então voltei a tomar o remédio e em alguns dias eu voltei ao "normal". Dessa vez eu resolvi buscar toda a informação possível e parar aos poucos, na esperança de que os sintomas não fossem tão fortes. Há cerca de 10 dias eu passei a tomar 15mg (antes tomava 20mg), depois de uma semana diminuí pra 10mg e a intenção é, completando mais uma semana, agora daqui uns dias, baixar pra 5, e uma semana depois... parar, finalmente e, ao que espero, definitivamente. Já estou sentindo um mal estar, enjoo e tonturas, muito embora não tão fortes como das outras vezes. Eu prevejo um mês difícil pela frente, mas sei que vai valer a pena.

Ronie Leite disse...

parei com a paroxetina bruscamente. sinto tudo isso exatamente, mas o que mais me incomoda e esta sensação estranha e indescritível de choque, agora que vim descobrir que não é um câncer ou algo tão grave quanto rs, vou retomar o tratamento e não vou cair nessa de interromper, o correto é a descontinuação com orientação medica, parabéns.

Anônimo disse...

Procurei ajuda médica de terapia e após psiquiatria,pois senti que após quase 4 anos de depressão somente a terapia não iria ajudar.O psiquiatra me deu a paroxetina.Resolvi procurar na internet o que ´exatamente e estou lendo estas coisas hoje.Estou com muito medo realmente de iniciar o tratamento.Podem me aconselhar?Me encorajar?É um caminho sem volta?

Jess disse...

Tomei paroxetina por um ano, mas com várias interrupçoes e nunca continuadamente por medo da abstinência se um dia eu tomasse continuadamente. Um dia , resolvi fazer o tratamento correto e tomei o remedio por 3 meses. Tentava parar abruptamente pois sabia que não podia me tornar dependente, mas eu acordava atordoada com os pesadelos mais reais e horríveis que eu já tive. Eram pesadelos que me deixavam atordoada o dia todo. Mau humor é de praxe quando se para de tomar, pelos menos pra mim. Nestes últimos dias pensei estra com labirintite pois estou com uma 'tontura' muito dificil de explicar, ao olhar a tela do computar parece que o mundo em volta abstrai,é muito estranho. Ao conversar com as pessoas, sinto confusão e não consigo me expressar, completar o raciocinio. Estou com dificuldade absurda de me concentrar, eu queria ganhar bolsa na faculdade de estudos pois sempre fui uma otima aluna, mas parar com a paroxetina com ctz me afetou nessa semana de prova e não voltei a tomar pq não sabia de onde vinham os sintomas. Se eu soubesse cm ctz teria tomado novamente. Me sinto fraca o dia todo e totalmente indisposta. Sem contar os problemas gastro intestinais. HORRIVEL. Quero que acabe logo, és horrivel esssa situação de estar no lugar e não sentir as coisas direito!

José Pereira disse...

Visualizar

Editar Anônimo disse...
Este site foi muito útil para mim.
Estive em depressão por muitos motivos. até caí no chão de tanta tristeza.
Fui traído e abandonado pela esposa e difamado por muita gente durante anos.
a paroxetina aliada a lamotrigina me fez muito bem, agora que estou curado, só preciso retirar aos poucos o remédio.
Obrigado a todos pela dica, minha psiquiatra está de férias no momento, e tenho usado serviço do SUS, o que complica ainda mais a minha vida.

Um conselho, se alguém pretende endoidar mesmo, primeiro vá no hospício ver como são tratados os pacientes do SUS. Mas se você tem plano de saúde bom, é uma maravilha, paparicam demais a gente.

Agora eu não sou doido não, pois vou regularmente no hospício, me trato e não fico doido.

Anônimo disse...

Pra mim foi ótimo este site. Parei de tomar o medicamento há 3 dias depois de 3 meses de tratamento, e estou no começo dos sintomas de descontinuação. Posso me manter informado desde já e saber o que pode ocorrer enquanto meu organismo se livra da substância, além do otimismo, por ter pouco tempo de uso, acredito que os sintomas passaram rapidamente.

Anônimo disse...

Graças a Deus encontrei esse site.
Jurava que estava perdendo a sanidade, estou na primeira semana sem a paroxetina e não tenho vontade de sair na rua pois os choques que sinto pelo corpo é anormal.
Converso com meus amigos e eles não sabem me dizer o porque estou sentindo isso. É horrível isso que estou sentindo, como disseram antes os sintomas são o seguinte. Me viro rápido e parece que sinto um choque no corpo todo ai sinto um impulso nervoso que vai da cabeça ao resto do corpo e vice verso.
No começo até achei meio bacana essa sensação, achei que era porque estava sem dormir bem, mas ai me deitei na esperança de melhorar acordei pior, ai me deu medo.
Espero que isso passe logo.
Valeu

Anônimo disse...

eu não parei com o medicamento..estou tomando há 2 meses, no entanto fui viajar e de vez em qdo esqueço de tomar..há 2 semanas senti muita vertigem, uma sensação estranha na cabeça, parece que tá sendo pressionada, sei lá..é muito difícil descrever, mas é uma sensação de tontura estranha..pensei que pudesse ser pressão..medi, normal..passou..esse fim de semana começou de novo, de leve, mas hoje está extremamente forte (não tomo há uns 4 dias o remédio, mas por esquecimento mesmo) e os pesadelos..não aguento mais tanto pesadelo, sono leve e volto a dormir e o mesmo pesadelo volta de novo..daí resolvi ler a bula (por orientação médica, resolvi não ler pois ele dise que a maioria das pessoas começa a ter os efeitos colaterais após ler a bula) mas resolvi ler pra ver se explicava tudo isso que estou sentindo e tem ums obs. falando que se vc interrompe o tratamento de vez, isso começa a acontecer..foi ai que vim ler na internet tb..

Anônimo disse...

Olá pessoal. Comecei a tomar a paroxetina a um pouco menos de dois meses (20mg). Estava numa crise de estresse sem igual, cansada ao extremo, irritada demais e com sintomas de hiperexcitação sexual com ou sem estímulo sexual (O psiquiatra disse que a serotonina não estava circulando de forma adequada no meu cérebro e o ISRS ia ser essencial para bloquear os recaptadores de serotonina. Acho que é isso). Bom, em menos de uma semana a hiperexcitação sumiu como num passe de mágica. Até demais minha libido não caiu a zero ficou negativa. (Mas tudo bem era um dos objetivos, entre aspas, do tratamento então me resignei). Passei também a ter uma paciência ilimitada para tudo o que antes me causava estresse e irritação. Em compensação só queria dormir, as 3 primeiras semanas foram punk (junto tomava bromazepan 3mg e ainda tomo). Depois melhorou um pouco, mas eu ainda estava improdutiva, então resolvi começar a diminuir a dose por conta própria, 1/4 por semana (já melhorou a sonolência de 20 mg para 15 mg). Estou agora tomando metade de um comprimido de 20 mg. Só que hoje me esqueci completamente de tomá-lo. Tive uma situação estressante no meio da tarde e comecei a ter vertigem. Fiquei pensando se não era labirintite pois ainda não tinha me tocado do esquecimento. Mas ao levar meu filho à uma festinha no começo da noite comecei a sentir algo como batimentos cardíacos no canto da minha testa (colocando os dedos era possível sentir a pulsação no local, como um coraçãozinho ali batendo, e nunca tive essa sensação estando com labirintite). Também senti choquinhos elétricos na testa, coisa muito estranha e difícil de definir bem perto do local onde senti a pulsação. Ao mudar o foco de visão vinha um descontrole sensorial. Me lembrei dos sintomas pois já havia estado aqui neste site antes. Aí pensei: "caramba, um dia só sem o medicamento, na dose de 10 mg!" Mas depois raciocinei melhor e pensei que talvez ter deixado de tomar o medicamento no dia de hoje desencadeou uma síndrome de descontinuação que já estava na berlinda para ocorrer. E tb questionei: será que eu teria tido essa crise de estresse a tarde se não tivesse reduzido o medicamento tão rapidamente (menos de dois meses de tratamento). Tomei o bendito logo e estou cogitando voltar a agregar 5 mg à dose que tomo agora, estabilizando em 15 mg, pelo menos até o começo do ano que vem (fim de ano...) Ou seja, não sejam escravos do medicamento mas também não tenham a maior pressa. E aí imaginei se eu tivesse tido a brilhante ideia de parar por completo o medicamento como seria! Tenso! Se puderem também ESPERAR para desfrutarem da melhora dos sintomas dos seus problemas em razão do início do tratamento, comecem com 10 mg e não com 20 mg como eu. Foi como levar uma pancada de porrete gigante na cabeça, fiquei parecendo um zumbi. Mas se recomendo? Apesar de tudo sim! Agora um aviso aos que tomam esse tipo de antidepressivo a anos: peçam ao médico um pedido de exame para averiguar como estão suas enzimas hepáticas. O negócio não é brincadeira, pode ocasionar simplesmente uma hepatite! E tenham fé!Àqueles que acreditam, orem muito a Deus: O poder da oração é incrível!

Anônimo disse...

Sou escravo de 60 mg de paroxetina há oito anos e tentei parar algumas vezes, principalmente pela questão sexual. Estou tentando mais uma vez e hoje completa uma semana que parei de tomar a paroxetina.

Que burrice eu fiz...

Mal consigo caminhar de tanto choque que eu sinto... estou estressado ao extremo, vontade de cometer suicídio.. aff!!!

O psiquiatra me receitou um remédio chamado BUP, pra tentar diminuir os sintomas da depressão, sem prejudicar minha vida sexual.

Há uma semana deixei a paroxetina.. estou sofrendo muito, mas por outro lado, voltei a ejacular com masturbação, coisa que há mais de cinco anos não acontecia...

Agora eu me pergunto, vivo com depressão tendo vida sexual ativa? Ou volto pra paroxetina e continuo sendo um ser que não ejacula?

lauro disse...

muito bom este espaco mesmo, as pessoas que como nos sofrem de algum disturbio nao tem muito a quem recorrer pois todos precisam de ajuda, li os relatos e sei que posso me preparar para o que vou ter que passar para parar com a paroxetina, ninguem falou em rivotril?? ou um relaxante muscular?? 1mg de rivotril ou 5mg de miosan ajudam muito se tomados 2 horas antes de dormir, sem alcool, e diminuem muito a ansiedade e os pesadelos.
tambem mudei muito minha vida frequentando um centro espirita, com uma reforma íntima e oração mudamos muito e quando vamos para a cama não pensamos e levamos os problemas do dia a dia. deite pensando no que fazer no outro dia e deixa as magoas de lado, voce vai dormir bem melhor. importante é fazer tudo com acompanhamento de um bom psiquitra, não é hora de poupar ou fazer o erro que eu fiz de me automedicar no inicio dos sintomas de depressao e noites mal dormidas, taquicardias, etc. a proxima batalha agora e a descontinuação, mas porque se preocupar hoje com o que ainda nao esta acontecendo, quando chegar o dia, ai sim, nada é facil, mas se tivermos que matar um leão por dia...vamos lá.

Anônimo disse...

Estou no 5º Dia, meus sintomas são semelhantes ao do autor do Site. eu parei repentinamente, com o uso do Cloridato de Paroxitina engordei 7 Kg em 5 meses de uso sendo 1 mês 20Mg e 5 meses 60mg, resolvi parar, apesar que o objetivo com o uso do medicamento atendeu as expectativas. O único sintomas diferente que sinto é enjoou. Da qui a uma semana comento a evolução do quadro dos meus sintomas.

Anônimo disse...

Para mim que sou mulher os efeitos por parar repentinamente, foram ainda maiores. Além da paroxetina 15mg o médico receitou o clonazepan numa fórmula manipulada. O remédio acabou e achei que não precisava mais dele, após ter tomado 2 meses consecutivos. No oitavo dia sem tomar, amanheci com muita tontura e nausea. Achei que fosse alguma coisa que tivesse comido na janta e tivesse feito mal. No dia seguinte mais tontura, nausea, dificuldade para respirar - como se o ar estivesse muito carregado e corrimento vaginal. Então resolvi medir a pressão e para minha surpresa estava alta, eu que sempre tive a pressão normal. No dia seguinte todos os mesmos sintomas,acrescidos de corrimento vaginal com uma coceira insuportável com um vermelhidão de doer, além de uma vontade de chorar por nada.
Fui então ao PA, a pressão continuava alta, e a médica me interrogando pediu se eu tomava algum medicamento controlado. Falei que fazia uns 10 dias que tinha parado de tomar o medicamento. Foi aí que descobri que todos os sintomas tinham sido pela parada repentina do medicamento, pois ele afeta também o sistema imunológico, deixando a imunidade baixa - foi o que causou o corrimento com coceira. A médica me deu uma injeção acho que calmante e uma nova receita e hoje começo de novo a tomar o medicamento. Espero que dentro de poucos dias tudo volte ao normal. Agora já sei que se for para parar vou ter que diminuir aos poucos a dosagem.
Espero que meu comentário ajude vocês de alguma maneira.

Bianca disse...

Já estou na 5a semana sem a paroxetina. No começo tive aquela sensação horrível nos olhos que vcs já descreveram, dores de cabeça e muito enjoo. Voltei a ter alguns sintomas da síndrome do pânico e toc, mas consegui me controlar. Fiquei muito aliviada ao achar esse site, me ajudou bastante a não me sentir tão mal. Só de saber que isso é "normal" e que não sou a unica, já me alivia bastante e me deixa mais forte pra continuar.
Ultimamente estou tendo sensações de despersonalização e desrealização, e tem me assustado bastante. Gostaria de saber se alguem já teve isso e se vai passar, pois a única vontade que eu tenho e de dormir pra não sentir isso. Estou com mto medo, mas graças a Deus ainda tenho fé de que vou melhorar. Força a todos!

Anônimo disse...

Sou mulher e tenho 21 anos. Uso a paroxetina à um ano com acompanhamento de um psiquiatra e uma psicóloga devido ao transtorno de ansiedade que tive, e hoje, através dos sintomas descritos no blog, descobri o que de fato era a sensação estranha que tinha todas as vezes que deixava de tomar o medicamento por um ou dois dias. Essa sensação, descrita como "choque", é extremamente desconfortável e quase que indescritível. Todas as vezes que passei por isso foi por ter simplesmente esquecido de tomar o medicamento por pouquíssimo tempo, agora, imagino o sofrimento das pessoas que interrompem o medicamento bruscamente. Por isso, apesar de saber que a paroxetina é uma droga fortíssima, reconheço que é indispensável no meu caso de ansiedade, sei o quanto foi difícil o que passei e hoje com o medicamento há um ano não tenho mais crises de ansiedade, meu médico prevê a retirada total do medicamento em 6 meses, e jamais irei parar seu uso arriscando voltar com os distúrbios psicológicos que tinha. Aconselho que, ao tomarem esse medicamento sejam acompanhados por profissionais, e jamais descontinuem seu uso sem consultar um médico.

dinho disse...

Tomo a mais de um ano..20mg.. as vezes 40mg qdo eu tinha algo mto importante pra fazer e sabia q ficaria ansioso.. e as vezes ficava sem tomar no final de semana por esquecimento msmo.. e sentia essa tontura horrivel e nausea, descobri por conta que era pq tinha esquecido do remedio!
tenho suado descontroladamente, as vezes nem ta tao calor e eu to la suando..e não tenho apetite sexual, não tava conseguindo nem ereção..e isso tava me afetando demais, ao inves de melhorar minha ansiedade parece que eu tava regredindo.. resolvi parar totalmente, msmo sabendo dos efeitos, estou a uma semana sem tomar e continuo com as tonturas, enjoos, nausea.. andar de carro eh um terror..vontade de vomitar o tempo inteiro! Mas não senti esses 'choquinhos' vcs sentiram desde o começo ou com o passar das semanas esse efeito surgiu? espero não senti-lo mais pra frente..pesadelos eu ja tinha durante o tratamento, então ta sendo 'tranquilo'.
Nossa..mas foi um alivio esse site, como ja falaram so de saber q nao estou sozinho ja da uma baita força! To resistindo bem ate agora

dinho disse...

passei de uma semana e continuo com as tonturas e o enjoo.. surgiu mais um sintoma..junto com a tontura que da ao virar os olhos vem um barulho..como se eu pudesse ouvir os olhos se movendo..uma sensação horrivel! Um pouco cansado disso já..pensei em voltar a tomar..mas dai lembrei de tdo o q o remedio me incomoda e dessa semana q ja enfrentei e nao vou jogar fora..e continuo firme!

Queria fazer um comentario sobre uma coisa q tem me agradado.. eu sempre fui mto divertido..dava risada por pouco..chegava chorar de tanto rir! Hoje tive uma dessas crises de risos q costumava ter e me toquei que durante o uso do remedio eu nao tinha!! fiquei bem satisfeito por ter recuperado isso!

bom..é isso..apesar de achar q ninguem esta lendo isso, vou continuar dando updates aqui..rs
me ajuda um pouco

dinho disse...

dia 23 e eu já senti uma melhora.. a tontura ta mais fraca e o "som dos olhos" tbm..enjoo quase nulo..
Acho q logo mais to livre disso tudo

Anônimo disse...

Meu nome é Claudia tenho 37 anos.
Fiz o tratamento com paroxetina Pondera durante 01 ano para Transtorno de ansiedade. Até chegar a psiquiatra passei por 03 cardiologistas, e vários clínicos. A sensação é que estava enfartando... Depois que comecei o tratamento minha vida melhorou totalmente. Cheguei a tomar até 30 mg. e as vezes que tentei parar bruscamente, pensei que ia morrer de tanta tontura e a cabeça parece que fica latejando junto com os olhos, pesadelos quase reais e tudo mais... Então a psiquiatra começou a diminuir a dosagem para 20, 15, 10, a última dose foi 5 mg. Estou no terceiro dia sem o remédio, mas ainda tenho todos os sintomas só que mais leves.
Esses depoimentos me deram mais força ainda, sei que não estou sozinha nesta batalha da paroxetina !
Força pessoal, vamos conseguir !!

dinho disse...

Consegui! dia 28 e já não sinto nenhum sintoma!
Vai firme Claudia! vc tbm consegue! um abraço

ra disse...

Boa tarde. Sempre tive transtorno de ansiedade. Pelo menos desde que eu me lembre. Não faço a menor ideia de quando começou. Acho que foi na infância. Talvez porque nunca tive amigos na infância, e sempre fui a “patinho feio” da sala. Sempre sofri o que atualmente chamam de bulliyng, e sempre em silêncio. Na escola, no clube, em família, e etc. Só fui ter amigos na adolescência, que foram amizades falsas e temporárias. Era só companheirismo pra encher a cara de álcool. Não mantenho vínculo com nenhum dos "amigos" atualmente.

Fico vermelha de ansiedade até pra pagar a passagem do ônibus. Não consigo ficar em locais em que as pessoas apresentam qualquer tipo de tensão. Parece que a tensão das pessoas passa pra mim, e passo mal demais em locais assim. Na faculdade, tive que batalhar demais e vencer um zilhão de obstáculos pra conseguir dar a minha opinião em um simples debate, ou pra apresentar um trabalho. Isso porque sempre fico vermelha de um jeito estranho, cheia de bolotas vermelhas pelo corpo, acompanhado de um tremor na fala e na maioria das vezes, de medo. Mas eu aprendi a lidar com isso, por mais tenso que pareça. Eu me esforcei muito, estudava demais, muito mais que todos, e aprendi a lidar com as minhas limitações. Nunca fui a melhor aluna, e este também nunca foi o meu objetivo. Mas sempre tentei ser melhor a cada dia, e mesmo tendo dificuldades de aprendizado por causa da ansiedade, estudei tanto, mas tanto, que com o tempo, passei a ser respeitada pelos professores e estudantes da faculdade. Era uma ótima aluna, e já não era aquele velho motivo de graça. Comecei a dar aulas em pré-vestibulares, a minha maior conquista. Não tem jeito mais difícil de lidar com a Fobia Social e o Transtorno de Ansiedade do que dando aula, no meu ponto de vista. Foi o maior obstáculo de minha vida. Não vou dizer que deixei de ser uma pessoa excessivamente ansiosa. Continuava ficando vermelha, tendo crises de vômito ou diarreia para apresentar um mero trabalhinho de faculdade, fazer uma prova, ou dar uma aula. Sempre me deixei intimidar pelas pessoas, e admito que ainda não aprendi a lidar com isso ainda. E claro, sempre fiz o possível para não transparecer aos demais a minha luta e dificuldades, especialmente à minha família. Sempre transpareci uma pessoa forte, mesmo não sendo de verdade. Mas o que importa é que me formei sem ter tomado a Paroxetina. Não apenas formei, mas fiz uma ótima graduação, sempre ralei muito mais que os demais por ter consciência das minha dificuldades, sabia que precisava disso. Foi até bom, pois o excesso de ralação me rendeu um ótimo primeiro emprego.

ra disse...

No meu primeiro ano de formada, já trabalhando em uma empresa, comecei a me sentir deslocada em pequenas reuniões. Isso porque muitas vezes não conseguia expressar a minha opinião devido a excessiva ansiedade e fobia social. Além disso, estava com dificuldade em elaborar relatórios e tive um problema de convívio com uma colega de trabalho. Até hoje não me dou com ela. E eu só engulo, não tenho capacidade de responder ofensas, ainda não aprendi a lidar com isso. Então, depois de ser tão guerreira na faculdade, em um caminho tortuoso e muito difícil, tentei resolver minhas limitações com um "atalho". E caí na cilada (pelo menos no meu ponto de vista) de ir atrás de um psiquiatra, pois reconheci que eu não era normal (e quem é!?) e que precisava de um tratamento psiquiátrico. De início, foi até interessante. Fiquei MUITO mais social e bem humorada com as pessoas. Até me dei melhor com a colega de trabalho, pois fiquei indiferente com as ofensas delas. Fiquei indiferente frente a tudo. Não brigava mais com meu namorado por nada, nosso relacionamento até melhorou. Mas a minha vermelhidão NUNCA passou. E o legal é que aprendi a lidar com isso. A ansiedade sim, realmente diminuiu com a paroxetina. Mas como relatei, fiquei meio estranha, como se não fosse eu mesma. Tudo estava muito bom, nada me irritava, parece até que perdi a minha vontade própria e opinião crítica. De vez em quando eu ficava excessivamente feliz, como se tivesse ganhado na Loteria.

O que acontece é que sempre fui uma pessoa que faz auto-análise. Então, sabia que estava vivendo uma mentira, e que a cura não estava no remédio. A minha felicidade excessiva ou a minha extrema sociabilidade e amor por todas as pessoas não era natural. Então, depois de um ano em tratamento com a Paroxetina, e depois de muita reflexão, decidi parar. Meu médico é contra. FODA-SE ele, vou parar mesmo assim. Prefiro lidar com as minhas dificuldades naturalmente do que artificialmente. Prefiro continuar sendo “esquisita” (meu apelido na época da escola). Todas as pessoas têm dificuldades, não é? Temos que ser corajosos na vida.

Já tem três meses que estou diminuindo a dose aos poucos. Esse último mês está mais punk. Em dez minutos sinto um milhão de sentimentos. É indescritível. Já tive vontade de me morrer várias vezes nesses três últimos meses, achei que estava ficando louca e até cogitei internamento psiquiátrico. Estou até acostumando com a tontura e enjoo, pra mim é o menos mal de todos os sintomas. Penso que os sintomas fisiológicos são fortes, mas os mais difíceis de superar são os sintomas psicológicos da descontinuação. Prefiro vomitar e ter diarreia a ter vontade de morrer. Na segunda-feira vomitei horrores, fiquei tonta e não consegui ficar em pé. Faltei o serviço terça, pois não tinha condição nenhuma de trabalhar. Hoje, quarta-feira, estou um pouco melhor. Minha sorte é que tenho um marido incrível. Além disso, tenho pais maravilhosos. Amo muito os animais que vivem comigo e eles me ajudam tanto....! E tem duas pessoas no meu serviço que eu amo muito também, eles estão me apoiando, mesmo sem ter consciência disso.

ra disse...

A tontura continua e a tristeza também. Estou mesmo muito perdida. Parece que nem sei mais o que quero da vida. Não me reconheço. Não sei quem sou. Mas o importante é que tenho coragem. O nosso lado emocional é essencial, mas não dá pra viver a vida de emoções, precisamos lidar com a razão também. Sei que não estou louca, nem com depressão. Estou apenas com sintomas da descontinuação da paroxetina. Tudo que quero agora é voltar a ter as velhas dificuldades e continuar lutando para superá-las, reconhecendo sempre que eu, assim como todas as pessoas, tem limitações. Não existem seres perfeitos, e a vida seria uma merda se fosse assim. Prefiro me aceitar como sou, com meus defeitos e limitações, mas sem ser apática, sempre buscando a minha cura.

Esse depoimento é para todos pensarem muito. Não busquem "atalhos". Esse é o maior problema da paroxetina no meu ponto de vista. Não recomendo essa medicação a ninguém, mesmo sabendo que pode ser positiva em casos extremos. Temos que ter muita coragem e força. Em primeiro lugar, saber quem somos e o que queremos da vida. Somos todos pessoas diferentes e não podemos nos comparar a mais ninguém senão nós mesmos. Essa é a maior beleza da vida. Não percam isso. Meu e-mail: aguiavalquiria@gmail.com

ra disse...

OBSERVAÇÃO: PARABÉNS DINHO!!!!!!!!!!!! Eu tenho lido tudo que todos postam.

ra disse...

FORÇA PRA TODOS NÓS!

Pollyana Rodrigues disse...

Tomo Paroxetina a uns 5 meses por causa de ansiedade e tristeza, e já fiquei dois dias sem tomar o remédio por falta de receita e tenho sintomas estranhos, como o corpo mole, fraqueza, a boca dormente, dores de cabeça, tonteira, e quando voltei a tomar o remédio passou. Mas agora estou na mesma situação, e estou me sentindo muito mal. Tenho mudanças repentinas de humor, e os outros mesmos sintomas só que agora com enjoo também. Não sei o que fazer para deixar de tomar esse remédio, que me ajuda a controlar a ansiedade... Força para todos que estão e ja passaram por essa situação.

ra disse...

ei pollyana. força pra ti.

ra disse...

hje, quarta feira, a tonteira piorou demais. estou tendo crises de choro. mas seguro a onda e tento disfarçar dos colegas de serviço. trabalhar é muito difícil, até pq os sintomas são persistentes e não dá pra faltar o serviço ou chegar atrasada. só faltei terça pq estava até achando que ia morrer. tomei um plasil e talvez até consiga comer algo. tô de jejum, pois to muito enjoada e tonta, impossível comer nesse estado. tudo que quero é que dê logo 17h00 pra eu poder tomar um banho e deitar na minha cama. essa semana vai ser punk pra caralho.

Anônimo disse...

DINHO, obrigada pela força, abração pra vc !!!

Os efeitos da abstinência da paroxetina são terríveis, começar a tomar é fácil, o difícil é
parar.... Vamos conseguir, os efeitos vão diminuir
dia após dia...

Claudia

ra disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Sugiro o texto sobre síndrome de descontinuação dos antidepressovos de Luiz Fernando Ribeiro da Silva Paulin em

http://www.moreirajr.com.br/revista.asp?fase=r003&id_materia=3918

No final fala da hipóteses proposta como base fitopatológica da descontinuação.
O texto é um pouco logo, mas ajuda a entender os sintomas desagradáveis.
Lembrem que para Deus nada é impossível.

Anônimo disse...

Tomei 20mg ao dia por 4 anos , hoje faz 7 dias e os sintomas da abstinência , estão diminuindo, minha libido voltando aos poucos, mas ainda com problemas em manter a erecao?? Será que tudo voltara ao normal , estou hoje com 48 anos ?? Alguém passou por isso ?? Qt tempo leva ou levou para normalizar??

Ricardo disse...

Não tomo Paroxetina à 6 dias...e tem sido muito dificil. Tomei durante 8 anos depois de ter sido diagnosticado Sindroma de Panico. Os meus sintomas de desmame começaram à 3 dias. Os principais são as tonturas, sonhos muito reais, "choques" nas extremidades do corpo e confusão. Hoje também comecei a ter dores musculares nos braços...quando aperto as mãos, parece que tenho caibras nos antebraços. É uma sensação muito esquisita. No entanto estou decidido a deixar a Paroxetina. Irei conseguir, nem que demore 3 meses :) Temos que ter pensamentos positivos e pensar para nós que estes sintomas se devem apenas ao desmame, nada mais. Já tentei deixar anteriormente, mas voltei a tomar devido aos sintomas. Desta vez, como já sei que estes sintomas são provocados pela abstinecia da Paroxetina, vou deixar este medicamento. Força pessoal, pensamentos positivos! Não se isolem, falem com as pessoas mais próximas sobre os sintomas e veram que elas nos podem ajudar a ultrapassar esta fase.

Anônimo disse...

Olá! Meu nome é Fernanda, tenho 33 anos, sou bióloga e tomei Paroxetina 20mg por mais de 10 anos para Síndrome do Pânico e stress. Não tive melhora, continuo com Síndrome do Pânico porém tento me controlar sem drogas e prometi postar o meu relato aqui quando deixasse o remédio. A conclusão que tirei é que realmente não faz muita diferença se tiramos o remédio aos poucos ou de uma vez. Diminuí gradativamente, ao longo de anos porém na reta final, quando tirei o caquinho de medicamento que ainda tomava a abstinência foi terrível da mesma forma. Deixei o emprego e passei dois meses sem sair do quarto devido aos sintomas. Sintomas: enjôo extremamente forte, tonturas e choques ao virar a cabeça,repulsa por cheiro de comida, perfumes e combustível, alucinações e pesadelos extremamente reais quando dormia, sudorese e ondas de calor, choro e nervosismo, extrema sensibilidade, diarréia, e muito medo de enlouquecer e morrer. Quase deixei minha mãe louca. Sofri como um cão. Não desejo isso ao pior dos meus inimigos. Mas consegui. E não consigo definir a sensação maravilhosa que é me ver livre deste inferno, mas LIBERDADE é uma boa palavra. Por isso eu peço: NÃO DESISTAM! Não se entreguem a essa droga que já causou o inferno de tantas pessoas e famílias. Não conheço ninguém que se curou com ela e a deixou sem problemas maiores ainda. Nenhum sintoma de abstinência é tão terrível quanto saber que somos escravos de algo que nos mata lentamente. Recusem essa coisa, muitos psiquiatras sequer fazem idéia dos efeitos devastadores da paroxetina e os que fazem idéia insistem para continuarmos com o uso pois tudo o que relatamos no consultório e vai para os prontuários são dados importantes de suas cobaias humanas. Não desistam, se apeguem a Deus, busquem tratamentos naturais como homeopatia e fitoterapia e mantenham na mente uma lembrança de quando vocês eram perfeitos e felizes, antes do inferno. Vocês vão vencer! Suportem! É horrível, mas tudo vai passar! Eu sou testemunha. Estou começando a viver minha vida agora,livre,como se tivsse nascido hoje! Desejo vitória a todos. Tomara que meu testemunho ajude. Quanto aos inocentes que estão começado a tomar a droga agora, estão achando que melhoraram e tencionam continuar,sinto muito.
Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça...
Deixo meu e-mail para os que tiverem dúvidas e se eu puder ajudar de alguma forma: fernandhafernandhes@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Boa noite a todos. Tambem estou em abstinencia do Paroxetina, apos um ano me tratando com uma dose de 30mg. Resolvi parar de uma vez vendo q nao estava mais fazendo efeito. Nao é facil, sinto muita pressao na cabeça, olhos, ouvido, tenho muitos pesadelos, fico isterica as vzs d tao nervosa, sinto muitos enjoos, tonturas, nao gosto de sentir cheiros, resumindo 3 muito dificil, porem nao é nada que quem ja tenha passado por uma crise nervosa nao saiba, perdi totalmente meu desejo sexual com o uso da paroxetina. Hoje faz 5 dias sem a paroxetina, nao esta sem facil, mais com fé em Deus vou conseguir. Obrigado pelo espaço

André disse...

Galera, estou passando uma barra, mas melhorei muito desde a última postagem minha aqui.

Eu tomei paroxetina por apenas 3 meses, por conta própria eu interrompi o tratamento, diminuindo semanalmente as doses.
No começo eu achei que não ia conseguir parar de tomar, as tonturas, enjôos, e episódios depressivos de excessiva emoção latente estavam me incomodando muito, pensei várias vezes em voltar a tomar, até que a maioria dos sintomas sumiram, já fazem 2 meses que estou sem a paroxetina e apesar de algumas recaídas na depressão eu acredito de que não preciso mais da paroxetina no meu organismo,
eu tento fazer mais exercícios físicos, com alguma dificuldade eu os faço às vezes, e ainda não tive ânimo de verdade pra sair procurando emprego, mando um currículo aqui, outro ali,
mas não me dedico muito a isso, que eu sei que se me dedicasse arrumaria um emprego, já fazem 8 meses que estou desempregado e nem o seguro desemprego consegui receber, minha família me vê como parasita, o que reconheço como meia-verdade.
Mas isso não me ajuda nada, e fico ainda mais deprimido quando eles me criticam,
sei que ainda não estou totalmente curado da depressão,
mas estou tentando beber menos, visto que tenho bebido quase todos os dias, objetivando sempre me sedar,
e acredito que assim, aos poucos, com concentração e meditação, sem químicas fortes como a paroxetina eu melhorarei e terei uma vida normal novamente, eu voltarei aqui para escrever sobre isso também!
Um abraço e boa sorte a todos!

Anônimo disse...

Fazem hoje 50 dias do dia que tomei o último comprimido de 10mg. Tomei 20 mg durante 1 ano e fiz o tal desmame para 15 e por fim, 10mg. Está sendo um inferno! Eu nunca pensei que sofreria tanto na minha vida como estou sofrendo. Creio que o pior já passou que foram as alterações do sono, pesadelos etc. Tive muita náusea e vomitei muito esses dias. Tenho sentido palpitações e muito medo de não voltar ao normal. E de pensar que eu iniciei esse tratamento por estar estressado devido a uma prova de vestibular. Se arrependimento matasse eu já estaria morto. Eu nunca tive depressão nem ansiedade forte mas agora me sinto deprimido pelo medo de não superar o que estou passando. Minha mãe tem me dado força e eu tenho fé de que isso seja apenas uma fase ruim da minha vida e que eu possa lembrar disso futuramente como um problema superado. PEÇO DESESPERADAMENTE QUE ALGUÉM QUE SUPEROU ESSA FASE ME RESPONDA! ME AJUDARIA MUITO! TÔ COM MUITO MEDO DE FICAR ASSIM PRA SEMPRE.

Quem quiser entrar em contato por e-mail: pedro.t8@hotmail.com

Anônimo disse...

Olá a todos. Também gostaria de deixar um breve relato: Há cerca de 5 anos, por na época sofrer de depressão, comecei o tratamento com Cloridrato de Paroxetina. O que posso dizer é que essa droga não me ajudou nem um pouco. Hoje estou curado da depressão, mas agradeço a Deus, à fé que tive. Já tentei parar umas cinco vezes com esse droga de remédio, mas os efeitos da abstinência são terríveis. Tenho fé em Deus que irei conseguir e faço um apelo:
Por favor, não tomem esse remédio!!!!
Há várias outras alternativas. Acredite em Deus, busque nele que sairá vencedor.
Obs: parabéns ao criador dessa página pela oportunidade.

Anônimo disse...

Olá pessoal,

Vejo muitas mensagens de pessoas que estão no auge da crise, mas poucas por quem passou pelo processo. Após aprox. 6 semanas sem usar paroxetina posso dizer:

ESTOU ÓTIMO!!!!!

Tomei o remédio por aproximadamente 4 anos variando entre 20 e 30 mg. Decidi parar de uma só vez (me parece a melhor abordagem) e sofri com a maioria dos sintomas da descontinuação (o último a passar foi o enjôo). Após essas 6 semanas creio que me livrei de 99% dos sintomas (tenho um pouco de dor de cabeça, mas sinceramente, a causa pode ser qualquer coisa).

Não desistam, pois vocês vão ficar bem!!! Uma dica: durante a maioria do período utilizei o remédio Dramin que ajudou MUITO, fica o conselho (obviamente utilizá-lo sob supervisão médica).

abraços e boa sorte a todos!

Anônimo disse...

Olá pessoal,
Tomo a paroxetina há 10 anos!!!
Estou em fase de abstinencia por uns 4 meses, tomo 1/4 a cada 15 dias e qdo tomo me sinto muito mal, mas a sensação que tenho na cabeça de latejar, parece peso,cai cabelo tbém e incha.
Passa...(qdo tomo o remedio)
Faço acupuntura há 1 ano e 1/2 e tomo fitoterapico chines.
Tentei parar várias vezes e não consegui, foi horrível a sensação: ansiedade, cabeça pesada , inchaço.
Creio que ela, a paroxetina, tem um tempo para nos melhorar, se parar e tiver sintomas psicologicos eu acho que tem q tomar mais um pouco.
Ficar atrás de receita e a boa vontade dos médicos ninguém merece, fora, o preço q é bem caro.
Tentem a acupuntura. Ela é a salvação!
Abraços a todos..
Luciana

Anônimo disse...

Parei de tomar a paroxetina bruscamente no dia 14, no dia 15 a noite já começei com uma sensação horrível, muitos vômitos, vertigens, diarréia, náuseas, e sensação de barulho na cabeça! Hoje é dia 18 e permanecem os sintomas.Gostaria de saber por mais ou menos quanto tempo permanecerá esses sintomas? Muito bom o site, eu axava que estava com virose, labirintite...

Anônimo disse...

Durante hum ano estive em tratamento psiquiátrico por conta de sintomas de depressão e foi receitado a paroxetina. Não conhecia a medicação e segui o tratamento. Realmente não foi uma experiência boa, pois com 6 meses fui parando de usar de acordo com orientações medicas e sentindo alguns dos sintomas relatados anteriormente por outros usuários. Até tive uma melhora, pois tinha dias que o cérebro estava trabalhando muito mais do que o normal não dando espaço para depressao. Então voltei a ter recaídas e ao tratamento. Nesta segunda etapa eu saí do emprego e por conta de outras situações a medicação não estava ajudando. A baixa estima continuava e continua, mas o caso mais grave é a mudança de comportamento, onde comecei a ter paranóias e alimentando minha mente com bobagens, e quando falo bobagem, não são pornografias, mas coisas que assustariam muita gente (não vou entrar em detalhes, pois desejo reportar informações úteis).
Continuei o uso com 20mg e em outros dias 10mg, e realmente, muitos dos sintomas relatados anteriormente, foram de grande utilidade, pois estava ficando perdido diante de um momento de insanidade, provido de insônia, perda de apetite, queimações diárias no estômago, impotência sexual, entre outros, e que, afetou minha vida social, pois durante os últimos 05 meses, sai de casa para fazer algo cerca de 15 vezes, apenas para realizar o necessário.
Decidi parar de vez, pois na situação como me vejo, isto tem me atrapalhado muito a minha vida.
Hoje é o meu segundo dia sem a medicação e voltei a ter os sintomas de antes como dor de cabeça, tontura, retardamento do processo mental, gagueira vinda de falha na memória, pequenos choques no cérebro, espamos, insônia, falta de ar, falta de controle emocional, pequena dificuldade na coordenação motora, zumbido no ouvido, dor intensa na nuca, Perda de memória, desvio de atenção para o nada, irritabilidade, Sensibilidade horrível para cheiro de perfume, entre alguns outros.
O blog ajudou a esclarecer algumas duvidas que estavam pertinentes, pois meu coração ainda parece pulsar e fazer minha cabeça querer explodir, porém ao aferir a pressão deu 12 / 7, e Parece ser um sintoma comum para usuários.
Agradeço aos que compartilharam as experiências assim como o administrador do blog, pois realmente, medicamentos psicotropicos não são para qualquer pessoa, porém acredito ser necessário uma melhor avaliação médica para o uso deste que pode influenciar negativamente a vida de uma pessoa. Digo isso pois com um problema de depressão grave e pensamentos suicidas, como tive, em nenhum momento o médico com que passava, me ligou.
Espero estimas melhoras a todos e para mim neste inicio de descontinuamento.

Anônimo disse...

Parei essa droga a 15 dias e tive as sensações de tontura, crises de raiva, dores de cabeça e baixa da pressão sg. Tomei o medicamento por 1 ano 20mg por dia para ajudar a controlar meus batimentos cardíacos, pois tenho uma prótese aórtica. Quando decidi parar o medicamento, pois ele me dava muito sono e eu estava ganhando peso gradativamente, tive sintomas horríveis como os descritos pela Fernada. Dou o mesmo conselho que ela, pois já estou voltando a ser eu mesma. Desde de domingo os sintomas gastrointestinais aumentaram bastante e eu tenho tido muita ânsia de vômito e repulsão por cheiros e alimentos, e quando como, tenho ainda mais náuseas. Hoje já tomei dois engovs e agora tive que tomar 1 dramim para tentar dormir. Já estou tomando meio comprimido de dramim a 15 dias para ter uma pequena melhora nestes sintomas. Contudo estou muito feliz e vou aguentar firme até que todos esses sintomas passem!

sami disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paula lima disse...

Olá, namoro ha 5 anos, meu namorado toma paroxetinha ha quase 3 anos e desde entao nossa vida sexual não esta nada bem! Libido diminuida, nao consegue ejacular e nem ter orgasmo. Só consegue ter ereção. Antes nossa vida sexual era perfeita! O que fazer? A medica dele ja diminuiu a dose do remedio, mas nao ajudou em cada. Nao sei como ajudar! Sei que ele tem tesão em mim pq se nao tivesse, nao teria nem a ereção! Estou me sentindo muito mal.

Andre e a sua luta disse...

Fui diagnosticado com depressão e pânico. Interrompido o tratamento de 1 ano com paroxítona 50mg e clonazepam 2mg diariamente.

Porque parou de tomar remédio sem consultar profissional da área?
Porque tem hora que eu vejo que estou bem, sem imaginar que era por causa do remédio. Ficava pensando da despesa de consulta e remédio, não tinha desempenho sexual satisfatório, o que acaba com a masculinidade de qualquer um, tem hora que enche o saco e, por orgulho, acha que é capaz de se livrar.

Foi uma boa ideia?
Falo isso com toda firmeza. NÃO! Foi uma estupidez ter cometido esse ato tão imprudente.

Porque?
Porque a paroxítona é ISRS MUITO potente, bloqueia certa parte do seu cérebro onde emite alerta exagerada, para que você possa começar a se tratar com psicóloga, exercício, reeducação alimentar, sem dificuldade e evoluir a qualidade de vida, sem ter ansiedade que chega atrapalhar sua vida, eis a mesma coisa com clonazepam que é tranquilizante alopática viciante.

Cometeu erro, como foi a consequência?
Drástica, experiência única, um verdadeiro terror de rebote. Começou mais ou menos 90 horas depois de ter interrompido.

Como foi o primeiro momento de terror?
Acordei lembrando de um sonho real e maluco, fiquei suado, extremamente leve, sensação de que o cérebro queria me tirar do chão e voar, tomava o choque forte quando olhava pros lados, ficava irritado, meu reflexo ficou muito rápido mas não acompanhava com a mesma velocidade que o cérebro comandava, tipo Ferrari com acelerador falhando, espasmo muscular nas mãos e nas coxas.

Qual foi a sua atitude?
Ligar o n° de emergência do psiquiatra, porque tinha certeza que era esse problema, era único remédio que eu tomava, mas infelizmente, psiquiatra estava em São Paulo, nem sempre é tão bom ter médico bem popular!!! Precisei tomar decisão se aproveitava esse leite derramado e aguentava barra pesada ou voltava tomar o remédio. Decidi esperar para ver se passava.

Passou?
NÃO ... piorou! Capeta me abraçou de vez! Comecei ficar enjoado, sem fome, fraqueza, suar mais ainda, coração parecendo tambor em todo corpo, mãos e pés geladas, precisei tomar banho, senti uma coisa estranha na hora de lavar na parte íntima, fiquei extremamente excitado e tive orgasmo muito forte em questão de 5 minutos. Depois comecei a me delirar, questionei a minha sanidade, comecei a ver coisas, assistindo televisão e vendo pessoas que eu conheço pessoalmente, falava e esquecia, embaralhava o raciocínio durante a conversa, tentei comer, mas até caldinho me dava náuseas do inferno, logo veio diarreia o tempo todo, mas tinha hora que era uma pontada forte no meu estomago que poderia facilmente confundir com ataque cardíaco, vontade de vomitar, me deixou com nó na garganta e dificultando a respiração, utilizei minhas técnicas para relaxar, fui dormir, fiquei rolando e suando na cama mais de 4 horas até conseguir dormir, novamente o sonho que eu tive foi muito bizarro, acordei muito encharcado, com a saliva e garganta mais seca que o deserto de Saara, gosto de borracha na boca e turbina de avião no ouvido e choque elétrico de cabeça chegando aos pés o tempo todo, todos sentidos (tato, visão, paladar, audição e olfato) desregularam, ficaram tudo doido. Fiquei insano. Não dei conta do recado dessa maldita crise de abstinência, voltei a tomar o meu remédio como tomava antes, 2 dias depois, acabou todas minhas sintomas, fiquei "curado", mas chateado por ser prisioneiro dessa coisa. Marquei o meu outro psiquiatra porque já não estava mais gostando do outro. Objetivo: Descontinuar remédio com acompanhamento profissional.

Eu não recomendo que você pare de tomar sem acompanhamento médico, porque tem casos que só pioram o que estava antes de começar o tratamento, graça a Deus não é meu caso, porque não entrei em pânico, que é um bom sinal de que pode estar curado por ter enfrentado todas essas malditas sintomas sem ter pânico, apenas uma ansiedade moderada, mas nada ao extremo de pensar que vai morrer.


Vanessa disse...

Oi Paula! Meu marido tomou paroxetina por um mês e aconteceu a mesma coisa... O medico dele trocou entao para fluoxetina, o que ajudou muito! Hoje nossa vida sexual esta normal, mesmo ele tomando fluoxetina.
Quem sabe nao seria bom ele tentar? Abraços

João disse...

Eu, aos 21 anos, me vendo extremamente necessitado a fazer algo que pudesse melhorar a minha vida e depois de bons tempos de terapia, que já tinha me ajudado muito mais do que ultimamente (razão pela qual a abandonei por um tempo), resolvi iniciar o tratamento com Paroxetina.
Isso mesmo, resolvi. Com a ajuda de uma amiga, que já tinha tomado há algum tempo, procurei sobre o medicamento na internet e dei um jeito de conseguir a receita e comprá-lo (estou com algumas dificuldades financeiras que me impediram de pagar a consulta). Conforme a bula, comecei tomando 10mg pela manhã, durante uma semana, e depois aumentei para 20mg (10mg ao acordar e o restante à tarde), que era a meta. Depois de algumas semanas nessa dosagem e sem sentir nenhum efeito do medicamento, além dos colaterais, passei a tomar 40mg ao dia (20 + 20). Aí, pouco tempo depois. comecei a sentir os efeitos da medicação. Tudo ainda era um pouco estranho, mas comecei a ver "luz no fim do túnel", o que gerou, inevitavelmente, uma euforia com o aparecimento dessa possível melhora. Isso durou cerca de uma semana. Daí em diante comecei a ficar extremamente sensível, pequenas coisas me irritavam profundamente, tive vários "surtos", choros intermináveis motivados por dores possivelmente supravalorizadas. Após mais uma semana dentro dessa total inconstância e percebendo que minha mente está um nó gigantesco, que minha situação psicológica somente piorou, ao ponto das minhas crises e a noção de "fundo do poço" começarem a me prejudicar. E nada na minha vida mudou nesse tempo. As coisas estavam iguais, todavia demasiadamente mais dolorosas. Não estava em mim. Acordei convicto, embora relutante, a parar de tomar e me reencontrar comigo mesmo para contabilizar o saldo dessa aventura. Estou com medo do que vou passar nesse período de descontinuação, mas não vejo como ser pior do que as minhas crises do últimos dias, onde me matar era a única opção Faltou-me apenas coragem! Graças a Deus. Mas mesmo com medo, estou ansioso por esse reencontro, minha relutância passou. Se tudo der certo, volto em breve...
Muito obrigado!

Tina Sil disse...

Olá!
Meu namorado começou a tomar Paroxetina tem pouco mais de um ano. COm alguns meses comecei a notar que sua personalidade estava mudando. Coisas que ele não gostava passaram a fazer parte da vida dele, ele ficou mais seco, na cama é um sacrifício para ter orgasmo, ficou individualista e com brincadeiras bobas.
Estou confusa. Gostaria de saber de vocês que já tomaram o medicamente se essa mudança de comportamento é possível em virtude da paroxetina ou se deve ser ele mesmo que mudou.
Obrigada, vocês me ajudarão muito... estou pensando em terminar porque estou infeliz

PsicoFilósofo disse...

Minha vida e experiência com os medicamentos IRSS só me permitem deixar como concelho, infelizmente, sem preconceitos, as pessoas que estão passando por esta fase, jamais se envolverem em relacionamentos externos a família.
Existe sim a possibilidade de manter uma relação com base em uma personalidade "manifestada" devido ao uso do mendicamento. Que na maioria das vezes é o oposto de sua realidade e então é como se com o uso de uma simples pilula você se torne outra pessoa, da qual nada tem em comum com a anterior e vice-versa na descontinuação do medicamento.

Bom para aqueles que estão enrrolados, acima temos varios exemplos, principalmente de mulheres, pois no caso dos homens a sexualidade é altamente afetada por qualquer medicação do genero. Emfim segue minha dica...

Se você esta enfrentando problemas sexual com a paroxetina, justamente você é o cara que não deve fazer o uso da medicação. Digo isto pois a paroxetina se torna um aliado a quem tem hipersensibilidade a realidade! Isso mesmo! Tem pessoas que desenvolvem depressão, panico, stress, disfunção e etc... devido a hipersensibilidade com tudo ao seu redor. Por incrivel que pareça, isso é visto como uma disfunção serotoninérgica, mas na realidade a maioria das pessoas com hipersensibilidade tem os niveis quimicos cerebrais normais. O que realmente afeta, é a hipersensibilidade. Seria como quando a nossa pele irrita no uso de algumas substâncias, mas o corpo todo sofre quando este fato começa a ocorrer dentro do cerebro.
Conclusão, se este não é o seu caso, ou seja, tomando o medicamento você esta sentindo dificuldade na ejaculação e orgasmo e prima por uma individualidade maior então você é um dos que deve efetuar o processo de descontinuação gradual da paroxetina e juntamente a introdução de medicamentos similares que podem trazer beneficios sem perdas significativas.
Posso citar como um bom exemplo de substituto a sertralina, a dopamina e outros.

Agora se no seu caso significou uma melhora na vida sexual, então meu amigo, bem vindo ao clube dos hipersensiveis, e isso, por enquanto ao meu ver é um casamento com a paroxetina, até que algo novo apareça para solucionar o problema, é você e ela pro resto da vida.

A mulherada ae, para de inventar desculpa e respçve a vida, ou você nao quer mais o cara e sai fora... Ou ajuda e orienta na mudança de medicamento que garanto! Tudo voltará a ser como era antes.

sóvideosx disse...

Muito boa tarde, tenho 38 anos, sou casado, e por uma indicação de medico , uma otorrino, comecei a tratar com o "pondera", pois os diagnósticos que possuía era de stress com ansiedade. Hoje após 1 ano, ainda continuo administrar. não sei se cada individuo reage de maneira diferente, mas em meu caso, levei quase 2 meses para sentir os benefícios do remédio, e estou a quase 7 sentindo os malefícios....rsrs
Primeiro no meu caso, cria um vinculo entre o abito de tomar remédio e as pessoas que lhe cercam, qualquer nervoso, perda de paciência já dizem, " tomou o seu pondera".... Como se esse remédio fosse deixar o individuo , pronto para qualquer coisa na vida, que o munda possa cair que não sentimos nada....
Estou muito decidido a largar o remédio , porem não tenho conseguido, pois é mais fácil continuar....
Espero mesmo que em 2013, eu largue essa droga que me fez engordar quase 6 Quilos.... Já tentei encontrar estudos que associa o aumento de peso com o uso dele , e nada é atribuído, nada concreto claro. Talvez seja apenas uma características da maioria, que sem perceber acabam comendo mais do que se deve..
Espero que em 2013, consiga largar dessa droga...

Feliz Natal a todos..

Tina Sil disse...

PsicoFilosofo,
muito difícil assimilar que um remédio modifique tanto a personalidade de uma pessoa.
De qualquer forma, quem está do lado até tenta alertar o usuário da Paroxetina, mas o remédio proporciona uma tamanha segurança na pessoa que ela sequer se importa.
No meu caso, após tomar conhecimento desta possibilidade, até tentei ajudar, mas sabe o que recebi? Um simples "vá viver sua vida porque estou bem vivendo a minha". Assim, muito simples...como se eu fosse um nada.
Enfim, vou seguir sim com minha vida.
Abraços!

Fernonato disse...

Tina, infelizmente o remédio muda sim o comportamento das pessoas. Outros mais outros menos, mas posso garantir que as atitudes sao sutilmente subconscientimente, ou seja a pessoa acha que esta agindo normal, mas na verdade nao esta. Se quer ajuda-lo alerto p uma grande jornada. Te falo isso com propriedade, tenho uma familia e namorado q me apóia, mas sei q e mto desgastaste p todos.....e ta sendo até p mim atualmente. Tenho pesquisado e te falo a cura esta dentro de nos, temos q buscar o que realmente nos faz feliz o remédio e a escravidão.... Vc nem imagina.... O q nos usuários mais precisamos e de compreensão.... O verdadeiro amor cura tudo. Estou aplicando na minha vida e esta dando certo estou finalizando meu ciclo e com a forca de deus vou conseguir, em mais um mês o processo e demorado. Agora por favor mto mto cuidado com o q lê por aí tem gente como ao meu ver, exemplo esse tal psicofilosofo infelizmente acha q entende alguma coisa sobre Paroxetina, pondera etc.

Tina Sil disse...

Fernonato, espero que você consiga passar por esta fase da melhor forma possível.
Entendo que apoio deve ser o que vcs usuários mais precisam, só que infelizmente existem pessoas que não aceitam ajuda.
Juro para você que eu abriria mão de tudo para poder ajudar a pessoa que amo, porém, ele está bem assim. E o importante é que ele esteja bem, mesmo que seja por conta do remédio.
Enfim, não quis magoar ninguém e nem parecer insensível com minhas colocações.
Boa sorte para todos vocês!

J. J.R. disse...

Tenho 46 anos e há um ano e meio estava tomando paroxetina 20 mg para tratar de uma ansiedade generalizada que poderia resultar em uma depressao , segundo meu psiquiatra . Há quatro meses venho reduzindo a dose , sob orientaçao medica , primeiro para 15 mg por um mes e meio ( mais ou menos ) , depois para 10 mg , e depois para 5 mg , tudo pelo mesmo tempo . Estou agora há 9 dias sem tomar o remedio e sinto uma vertigem forte e pequenos intervalos de ansiedade . Tento superar tudo com relaxando , fazendo coisas que gosto , como ler e ouvir musica . Faço tambem minhas oraçoes , que muito ajudam a superar os piores momentos . Experimentem , quando tiverem os piores sintomas rezem , independente de sua crença , e peçam a Deus do fundo do coraçao que voces verao que funciona . Inspirar e expirar profundamente durante uns 10 minutos tambem ajuda muito . Tenho controlado bem os sintomas e tenho fé e certeza que nao vou voltar a tomar a droga . Nao aconselho ninguem a deixar de tomar o remedio por conta propria , é bom sempre consultar seu medico . Mas o principal é a força de vontade . Tentem ! Insistam ! Força ! Nós vamos conseguir ! Não podemos ficar dependentes de um remedio e seus efeitos colaterais a vida toda ! A paroxetina foi muita boa pra mim no momento de crise , mas agora me sinto muito bem para poder abandona-la. Acreditem primeiro em Deus e depois em si mesmos que todos passarao por esses sintomas indesejaveis e voltaremos a nossa vida normal ! Todos merecemos ser felizes ! Que Deus os abençoe !

Jeison disse...

Faço tratamento a mais ou menos 1 ano e meio, tenho 31 anos e comecei a sentir fortes tonturas comecei tomando o paroxetina 10 depois 20 e quando chegou aos 30 me fez mau, fui diagnosticado com transtorno de ansiedade por cinco meses tomei a paroxetina até que meu medico mudou para o citalopram de 20 mg que tomo a mais ou menos 6 meses perdi meu convênio medico e resolvi parar por conta, hoje faz 5 dias e me sinto cancado e com sono e o pior os famosos choquinhos na cabeça direto, eles veem praticamente o tempo todo mais principalmente quando estou em pé e quando estou deitado até relaxa um pouco mais nao resolve, o choque vem com uma sensação de falta de ar fica complicado tenho esperança que a abe logo hoje vi na net que sao pelo menos 15 dias para o efeito acabar. Com fé em Deus e vou continuar resistindo apesar de estar louco pra tomar o remedio, acho que vou conseguir!

Rad Gravato disse...

"Minha vida e experiência com os medicamentos IRSS só me permitem deixar como conselho, infelizmente, sem preconceitos, as pessoas que estão passando por esta fase, jamais se envolverem em relacionamentos externos a família. "

Pena que só soube disso tarde demais, hehe.

amanda silva disse...

Tomo paroxetina a menos de 2 meses, não parei de tomar pois o neurologista me aconselhou a tomá-loo por 1 ano e meio, estava sentindo dores de cabeça todos os dias ai ele me receitou esse medicamento, a quatro semanas estou tendo insônia, pesadelos e TOC que nunca tive antes, pensamentos estranhos e hiperatividade. Gostaria de saber se é normal esses sintomas mesmo com o uso diário desse medicamento.
Abraço.

Ines Ferreira disse...

Tenho muito em comum com todos vocês, tomei paroxetine 10 mg durante 8 anos, o ano passado em outubro o meu medico disse que deviamos tentar deixar visto eu estar bem , passei de paroxetina para sertraline (Segundo ele assim seria mas fácil fazer o desmame)passados 6 meses a fazer sertralina veio então a parte má o desmame! já não tomo nada a 17 dias, os primeiros dias foram os piores agora tenho dias que estou mais triste porque estes sintomas não são faceis e tenho medo que não passem... tenho tomado tambem produtos naturais para amenizar os sintomas... enfim espero que tudo isto passe... boa sorte para todos vou dando nóticias

Dulce Oga disse...

Estou acompanhando os relatos e tentando fazer o meu desmame. Comecei a reduzir de 40mg para 30 e depous para 25mg. Ate agora estou suportando os sintomas. (enjoo, tontura, dor de cabeca, pesadelos...)

Helena disse...

Boa tarde a todos. Sou a Helena, 40 anos. Tomei paroxetina 20mg por 1 ano e 4 meses...para tratar de Síndrome do Pânico. Depois de tanto tempo resolvi fazer a descontinuaçao do medicamento. Comecei com 20mg, depois 10mg e por fim 5mg. Hoje faz 8 dias que já não tomo nada...mas meus amigos, como a maioria de vocês estou sofrendo muito com os sintomas, depois de 3 dias veio aquela sensação horrível na cabeça, parece que passa um trator dentro dela de minuto a minuto. Está sendo uma barra aguentar tudo isso, estou me sentindo um farrapo, sem vontade de sair da cama, não sinto ânimo para nada. Me sinto fraca, indisposta, e sem contar que essa sensaçao terrível na cabeça, não vem só, com ela os enjoos horriveis e a diarréia que já duram 4 dias. Eu sei e tenho fé em Deus que isso vai passar e digo mesmo que nunca mais tomo essa droga, nunca. Essa experiência que estou a passar agora, não queiram nem de longe passar por ela. É uma batalha dia após dia. Mas creio que vou vencer. Questão de dias e isso tudo vai desaparecer. Meus amigos, eu vou relatando aqui minha tragetória.

Fuxicão Feio disse...

ola galera, cmg é bein diferente, eu tomo paroxetina justamente para naum ejacular, tenho ejaculaçao precoce, e a paroxetina me ajudo mto, mas naum to qerendo mais toma esse remedio por medo de causar dependecia, gostaria d saber se algem teve isso tbm e parou e sua relaçao sexual melhorou sem o uso da paroxetina.. vlw

xuxa meneguel visita arrai da providencia disse...

meu nome é terezinha , hoje fais quatro dias que parei de tomar o paxil ... e tenho tido muitos sonhos pesadelos, acordo com uma imenssa tristeza , medo, sensação de perca , muito carente , e durante o dia muita tristeza,muita tonturas enjoo ,irritada sem paciência ,choro muito por qualquer coiosa .. enquanto eu estav tomando eu me sentia ótima , feliz e etx.. o pior de tudo é que não estou conceguindo ter paciência com meu filho de quatro anos, dai entro em desespero e fico muito pior por isso , me sinto culpada ,acho que eu deveria tentar me controlar ..mas não concigo , todo por ta sentido falta da droga .o que eu faço ???

rogerio costa disse...

Oi meu nome e Andressa tenho 34 anos e a 2 anos tomo a paroxetina, nunca aceitei muito essa ideia de tomar este remédio mais com as crise que tinha fui aconselhada pelo medico a tomar esta droga, a quatro dias descobri que estou gravida e fui aconselhada pela ginecologista a parar de vez com o remédio, a 3 dias não tomo mais a dois venho sentindo os terríveis sintomas, enjoo, vômitos, náuseas, forte dores de cabeça, agonias constantes, pesadelos, desesperos enormes,tristeza, muito choro, mal estar,com sensação que não vou aguentar mais desta vez estou determinada a para ate mesmo por causa do meu bebe... esta muito difícil demais.. a pergunta que venho fazendo e pesquisando por quanto tempo vou sentir estes sintomas algm pode me dizer e ajudar por favor ... obrigada Andressa

rogerio costa disse...

hj faz cinco dias sem a paroxetina, esta sendo uma barra, mais em nenhum momento nem no meu maior desespero penso em retornar com isso.os sintomas são brabos não desejo ao meu maior inimigo, embora graças a Deus eu não tenha.e a quem eu poder dizer eu vou falar para nunca entrar nessa furada. eu vou seguindo na força de DEUS E VOU CONSEGUIR.
família, amigos, bebe que esta se formando aqui dentro a DEUS obrigado!!!!

rogerio costa disse...

Oi, hj faço 8 dias sem o remédio,e ainda com bastante tontura e enjoos, muita irritação e muita agonia com vários períodos de crises. e não vou desistir.

alextruta z disse...

Força Andressa! Os sintomas sao normais agora é aguentar firme pois depois de algumas semanas os sintomas começam a diminuir abs!!

Nicole disse...

Eu tomei 40 mg por um ano, estou fazendo a descontinuação agora há duas semanas, com 20 mg, a noite os sonhos incomodam muito, tremor e sudorese, muita dor de cabeça, tontura, como se estivesse bêbada, porém o que mais me preocupa é o choro , tenho chorado muito, como antes de começar a medicação, será apenas um dos sintomas da descontinuação ou será q a depressão está voltando? quem passou por isso, se puder me ajudar, contando o que passou...

silva disse...

Esse blog me ajudou bastante,o meu caso começou por causa de emprego ai veio a depressão e com ela a ansiedade e os pensamentos obcessivos horriveis ai com isso fico muito triste e deprimido,fui ao neuromogista que me receitou o pondera por dois meses tive bastantante melhora,como vi que tudo estava indo embora os pensamentos e a depressão,mais comecei a ter crises de novo e o pior tenho medo de ficar dependente desta droga,mas e somente ela que me deixa relaxado sem essea pensamentos loucos,as vezes penso que estou ficando louco,o jeito é continuar o tratameto ter fé acima de tudo e sonhar com a cura,saudades de 1 ano atrás quando era totalmente normal

Show disse...

Gente... vou colocar aqui meu relato e espero ajuda-los.
A uns 5 anos atrás tive uma síndrome do pânico devido a uma pressão alta, acabei indo ao hospital, fizeram eletrocardiograma... nada.. me deram 2 calmantes e tudo bem... Depois desse evento..1 mês depois surgiu a síndrome do pânico novamente e depois ansiedade... a principio fiz Terapia e depois fui em um psiquiatra que me receitou pondera 20mg e Alprazolam (Frontal) se tiver crise (nossa que remedinho gostoso esse...rs)... fora que
custa 1/5 do pondera... enfim... tomei 1 ano e meio o pondera... tudo blz... me ajudou muito... pensei até em tomar o quanto fosse necessário para me sentir o que sentia... BEM.. depois de um tempo bem... comecei a duvidar que ele fazia algum efeito... então...
pensei ..... vou parar!!... por incrível que pareça tive uma Idea de parar sozinho usando uma estratégia..... que não me deu nenhum sintoma de abstinência.... esquisito né...vendo o tanto dos relatos aqui no blog..... mas... parei assim: comecei tomando os de 20mg um dia sim outro não por 1 mês... depois 1 a cada 2 dias (1 mês)... e 1 a cada 3 dias (1 mês) e depois parei. Pelo que lembro 3 anos atrás não tive nenhum sintoma de abstinência... e fiquei numa boa durante uns 2 anos... Depois tive meu 2 filho que tem 2 anos hoje (o primeiro hj tem 4 anos). E já viu, filho pequeno, trabalho stressante... enfim não dormia direito... acabei tendo novamente uma síndrome do pânico e ansiedade...pensei... bom... paroxitina na cabeça... ué... voltei no psiquiatra e ele me receitou Paxil 12,5... faz 6 meses que estou tomando e teve uns dias que esqueci... mas em uma dessas esquecidas... síndrome do pânico aguda, credo não desejo nem pro meu pior inimigo, tive que tomar 2 Frontal para normalizar... ninguém merece!.... Meu psiquiatra saiu do meu convenio e voltei em outro que falou para eu parar com a Paroxitina e tomar um tal de Wellbutrin ... putz no quinto dia tive a abstinência da Paroxitina, antes desconhecida por mim.
Tive um pesadelo que parecia um filme de terror... aff... credo... acordei enjoado, vertigens, tontura... fiquei pensando que era o Wellbutrin ... pois na bula dele tinha uns sintomas parecidos, tive que tomar até o Frontal de medo do pânico nesse dia...mas depois que
achei esse blog... putz... graças a Deus... bom... vou voltar no psiquiatra pagando uma consulta particular e tentar largar a paroxitina ou continua-la tomando... pois penso assim..... se esta fazendo bem... ué tome pela vida inteira... e dai... se vc acha
que vive melhor tomando do que sem tomar.... viva bem então.... pense como se vc fosse "diabético" da cabeça... e precisa desse complemento para que ele funcione bem....hehehe... Mas vou tentar parar do jeito que parei a primeira vez... e ver o que acontece.... depois posto aqui. E vai uma dica... tentem levar numa boa as crise de abstinência... veja com um desafio... um jogo: mente X você...de risada... pois com certeza ninguém vai morre disso, ninguém nunca morreu... só atrapalha um pouco e fica meio doidão... hehehe.... Abrss... e força com abstinência.

pools disse...

Vou deixar meu relato:
Comecei com 40mg direto e foi muito ruim na primeira semana com tontura, desmaio por queda de pressão, tremores e cabeça flutuante.

Depois, com outro psiquiatra, descobri que o inicio deve ser progressivo assim como o desmame afim de minimizar os efeitos colaterais.

Foram 2 meses com 40mg, 1 mes com 30mg e agora, em conjunto com a bupropiona, 7 dias de 20mg e 10 dias de 10mg.

O que posso relatar é apenas uma leve sensação de queda de pressão e algumas dores de cabeça.

Hoje será meu primeiro dia sem a paroxetina, mas graças a bupropriona não devo ter grandes surpresas.

Volto daqui a 20 dias.

Osnyr Rocha disse...

Eu tomei a paroxetina por apenas 4 dias e comecei a passar mal, fiquei com a pele do rosto roxa, nao conseguia abrir os olhos, eu dormi por 23 horas seguidas, tive movinento involuntario da face... Eu tentei falar com a psiquiatra que me receitou e ela disse que era assim mesmo e ia passar, eu disse q nao ia tomar uma medicacao q tava me matando aos poucos.. parei de tomar por conta a paroxetina, hoje faz 6 dias q nao tomo e ainda sinto uma tontura que custou meu emprego e nao sei por quanto tempo eu ainda vou me sentir assim (com essa coisa ruin no corpo) essa tontura q nao passa.

Minduim disse...

Muito bacana o blog!!! Tomei Paroxetina por 2 anos e 3 meses, sempre 12,5mg. Sofri no início com perda de libido e ter engordado MUITO. Mas em 3 semanas os efeitos foram ótimos e voltei a ter minha capacidade intelectual novamente. Este ano, 2014, resolvi que iria parar. Parei abruptamente dia 21/02. Vi que nestes 4 dias de abstinência estou tendo principalmente os enjoos e os tão falados "choques" que fazem com que em alguns momentos parece que eu estou nas nuvens. Mas nada que não seja suportável. A raiz do meu problema psicológico que ajudou a desenvolver todo problema químico foi bem resolvida comigo mesmo e acho importante "limpar" o organismo desta substância. Seu tempo para me ajudar já passou, foi importante mas agora preciso viver sem estas "muletas". Enfim, rumo ao desmame e que Deus me ajude para suportar os sintomas nestas duas semanas em média (prazo que vi aqui que é para estar livre da substância no organismo e também dos sintomas de abstinência).

Sandra disse...

Gostaria de dividir minha experiência e ajudar quem está precisando: Iniciei o tratamento com cloridrato de paroxetina a 1 ano e meio devido a síndrome do pânico e depressão causados por um episódio difícil que enfrentei. Logo no início, tive tonturas muito fortes e após 30 dias do início do tratamento com 40mg (sempre com acompanhamento médico e psicológico) os sintomas de depressão, desânimo e medo regrediram visivelmente a cada dia! O remédio foi realmente eficaz para mim! Agora estou a cerca de 6 meses em fase de desmame, o médico diminuiu de 40mg para 30mg por 2 meses, depois para 20mg por mais 2 meses e agora estou tomando 10mg a cerca de 1 semana. As tonturas tem sido bem fortes, são muito incômodas, parece labirintite e acontecem a qq hora principalmente a noite e pela manhã. Tbém engordei cerca de 12kg durante este 1 ano e meio. Estou confiante que este mal-estar vai passar e eu quero SIM parar o tratamento pois me sinto curada e capaz de viver bem sem a medicação. O médico vai manter 10mg por 1 mês todos os dias e depois em dias alternados até finalmente retirar.
Para quem está passando por problemas minha dica é: Confiem! respeitem o tratamento com o médico de sua confiança, tomem o remédio direitinho (sem esquecer ou parar) e tenham paciência para enfrentar os sintomas do desmame! Ahhh preciso começar a fazer exercícios, o médico disse que vou melhorar mais rápido! Um abraço a todos e boa sorte!

Denner da Cunha Pereia disse...

Comecei a tomar a paroxetina devido a transtornos de ansiedade, tomei por 2 anos a dosagem 20mg, e durante 15 dias tomei 10mg por dia, e já faz 5 semanas que estou limpo dessa droga. Se soubesse antes que era tão difícil de me ver livre dela não tinha tomado, claro que os sintomas da ansiedade desapareceram.

Nessa primeiras semanas os sintomas foram:
Fadiga
Mudanças severas de humor, especialmente irritabilidade e raiva
Tontura/vertigem não-convencional (difícil de explicar)
Sensação de choques pelo corpo / extremidades
Desequilibrio ao caminhar
Dores de cabeça
Hipersensibilidade à cheiros
Náusea / enjôo
Calafrios/ondas de calor

Na primeira semana pensei que ia morrer, fiquei prostrado, fadigado, nem trabalhei, fui melhorando aos poucos, hoje ainda sinto os famosos choques pelo corpo / extremidades e Tontura/vertigem não-convencional (difícil de explicar), não tá sendo fácil.

Todas as vezes que sinto esses sintomas mais FORÇA E CONVICÇÃO eu tenho que nunca mais irei tomar essa droga.
O que está me ajudando bastante são massagens relaxantes com massoterapeuta, exercícios físicos e respiração diafragmática. e além, é claro, de muita força de vontade.



mrsanonima disse...

Parei a paroxetina do "jeito certo". Diminuí de 20 para 10 mg. De 10 para 5 mg.... e fiquei alternando os dias ingerindo 5 mg por muito tempo.
Hoje é meu 15° dia de desmame.
Estou péssima ainda. Basta eu levantar da cama pra sentir vertigens e ânsia de vômito. Na maioria das vezes até vomito.
Os sonhos vividos diminuiram em intensidade, mas me sinto muito sensível, chorando à toa.
Estou desesperando....
Nuncaaaaa mais tomo paroxetina de novo!!!

Obrigada pelo site. Me senti acolhida e reconfortada.

Emanum disse...

Primeiramente muito bom o Site Ajuda muito ainda mais pela demora de atendimento pelo SUS
Segundo: Quero ser breve pois como tem muitos relatos o meu não vai ser diferente.
Terceiro: Relato da Fernanda mostra todos os sintomas que eu sinto e acho que tudo se resume a isto, choque pelo corpo, tontura com o decorrer de olhar para os lados, Muitas nauseas. Pessoal quanto mais tempo mais dificil para largar já tomo a mais de 9 anos e sei disso quem conseguir largar de primeira meus parabens. Muito Inteligente começar o Tratamento com auxilio de um médico e Terminar o Tratamento com auxilio de um médico.

Santiago & Fabiola disse...

Amém.

Floraria Arranjos e Flores disse...

Olá! Quero engravidar e com isso minha GO pediu que parasse de tomar a paroxetina. Não imaginei que os sintomas seriam tão fortes, pois já tomei venlafaxina e o desmame foi tranquilo (com efeitos mas beeeem mais leves)..
Tomava 20mg ao dia, diminui pra 10mg por 2 semanas e depois parei... consegui aguentar por 4 dias mas não teve jeito... tive que tomar 1 comprimido de novo...
Sensações horriveis, pesadelos de suar a cama todos os dias, esses malditos "choques" na cabeça, enjôos, irritabilidade no último... que coisa ruim!
Vejo que o meu sonho de ser mãe vai escorrendo pelos dedos, e sem eu poder fazer nada...
Voltei a tomar o comprimido semana passada, diminui pra meio comprimido e vou tomar dia sim e dia não... Eu não nasci tomando paroxetina, e não vou morrer tomando ela...
Esse blog me ajudou muito... ótima iniciativa!!!
Semana que vem eu volto...
Bjs!

Alan disse...

Oi pessoal. Meu nome é alan e tenho 35 anos e como o motivo que tomei pondera foi só por stress eu relato. O que me levou ao psiquiatra foram 5 sintomas que começaram gradativamente apos eu ter passado uns 2 meses muito estressado: dor no fundo dos olhos, dor no corpo parecida com resfriado, fadiga e sem energia, fibromialgia (pele extremamente sensível, só de assoprar com força doia, e so com codeina passava) e as tonturas horriveis (como descrevem nos outros textos), nausea e ao final enxaqueca muito forte a cada 3 dias.
Fui em vários especialistas, variossss exames e ao final me encaminharam a um psiquiatra que receitou 4 coisas: pondera 15mg, zolpiden 5mg e miosan 5mg. até que passasse as dores musculares no corpo e couro cabeludo e ao final e fundamental atividades fisicas e massagem para ajudar na causa do problema de uma forma natural. Nao conseguia nem trabalhar!
Como depois fiz atividade fisica só por 2 meses e parei, fiz a ENORME bobagem de ficar 8 meses tomando pondera, sendo 4 meses sem ir ao medico pegando receita com um amigo. 20 mg e diminui para 10mg por 4 semanas agora para largar o remédio. Estava indo tudo bem ate que me envolvi em situações de alto stress, peguei sinusite forte e ferrou com a minha imunidade. Resultado? Os sintomas todos voltaram, mais fracos pq estava tomando 10mg e tive que aumentar a dose pra 20mg novamente faz 3 dias.
O que vou fazer? Voltar a tomar miosan para dormir melhor e para q as cãibras durante o dia sejam mais amenas, vou baixar daqui uns dias para 10 mg novamente junto com o miosan, mais uns dias com 5 mg e miosan e largo e toma as capsulas ou chá DE ERVA DE SAO JOAO. Li na net e me indicaram na descontinuidade do tratamento deste tipo de drogas. E me inscrevi amanhã em natação e nao vou parar desta vez!

Me assustei com os relatos q vi aqui e que demora pra largar e tb ja sei pelo que vou passar....vou rezar a Deus para me ajudar,nao ferrar no meu trabalho e desejo boa sorte a todos!!!

♥Vanessa♥ disse...

Olá. Não consegui ler todos os comentários mas os poucos que vi já me ajudaram bastante. Não tomo paroxetina, tomo citalopran que é um potente antidepressivo e p síndrome do pânico que é o meu problema. Resolvi fazer uma pesquisa na net p saber se o que tenho sentido é tpm, ou estou ficando doida. E percebi que pode ser o antidepressivo e que não precisa necessariamente ser paroxetina. Parei a uns 15 dias 40mg, bruscamente e tenho percebido que qualquer desagrado me afeta a ponto de eu querer me mutilar, ando com muita ira, vontade de machucar alguém, além de sonhos confusos e sabendo que isso tudo se trata da falta de uma droga, é o suficiente para tentar um auto controle. Obrigada por esse site.

anônima 34 disse...

Gente. É a segunda vez que paro de tomar esse medicamento. A primeira vez vez quase morri. Nesta falei com meu medico para receitar doses que pudessem ser manipuladas. Reduzi da dose inicial que era de 12,5 em 2,5 mg até chegar a 2,5. Tomei por dez dias cada dose e finalmente intercalei esses 2,5 mg dia sim dia não . Foi bem mais toleravel. Estou a 5 dias sem e por enquanto só um pouco de dor de cabeça e irritabilidade. valeu muito a pena a paciência. Espero que ajude.

Anônimo disse...

Sou homem, casado e tenho 31 anos. Antes de falar da paroxetina acho bom contar como ela chegou na minha vida. Após passar no vestibular com 17 anos fui morar em outra cidade e estava há anos com uma tristeza contínua que não passava, alternada com comportamentos explosivos e uma insatisfação profunda com a meu curso e carreira. Sempre levei isso da melhor maneira possível, controlando-me e convencendo-me de que aquilo era parte da vida e deveria ser "suportado". De fato, erros e acertos fazem parte da conduta humana. Agora vejo meu sofrimento espiritual como algo que, de certa forma, aconteceu na vida do meu pai e da minha mãe (desenvolveram alcoolismo e tabagismo respectivamente). Enfim... Formei-me, comecei a trabalhar, conheci minha esposa e sofri terrivelmente com a doença e a morte da minha mãe. Casei-me após a morte da minha mãe e após o casamento, desenvolvi um pânico de algumas situações sociais e profissionais. Todas elas ligadas a um nível maior de stress em que eu me sentia perseguido como se estivessem armando algo para prender-me ou processar-me. Fui à psicóloga, iniciei o tratamento e a mesma disse-me para procurar um psiquiatra. O psiquiatra disse-me que eu tinha um "quadro de ansiedade somatizada" e que era resultado de "muito stress e falta de exercício físico". Realmente eu tinha tremedeiras no olho, dores fortes de coluna e nos momentos de surto minhas mãos gelavam e o coração disparava. Comecei com 25 mg, no terceiro dia tive uma agitação como se estivesse drogado, e, em seguida, um surto, minha pressão foi aos 18x10 e achei que eu fosse pular do 4o andar. Pedi para ser trancado e vigiado por minha esposa. Ela o fez prontamente. Foi uma das provações que passei em minha vida. O médico disse que aquilo era do meu quadro (não era, mas, talvez a droga tenha piorado as coisas) e que eu deveria continuar. Ele disse-me que o que eu passei realmente era um inferno e passou-me duas caixas de alprazolan SL caso eu tivesse o surto novamente. Tomei um SL no dia após o surto e depois consegui tocar a vida sem o alprazolan SL e as duas caixas venceram e felizmente foram para o lixo. Após um mês as coisas melhoraram mas ainda tinha algo errado. Ele aumentou para 37.5 mg. Três meses depois estava tudo bem e pedi para ele manter a dose. Agora, 9 meses após o início do tratamento, quero diminuir. Irei no médico semana que vem e prometo colocar aqui tudo o que acontecer. Força para todos e que Deus os ajude.

Fabio Pascoal disse...

Olá pessoal,

Desde o início desse ano, tenho sofrido de depressão. Meus sintomas são disfunções gastrointestinais, insônia terminal, desinteresse generalizado e muita tristeza. Tenho passado por uns períodos de melhora e recaída, mas o pior, sem sombra de dúvida, foi quando tentei me tratar com a paroxetina.

Meu primeiro contato com a paroxetina, foi no meio desse ano. Depois de peregrinar por vários médicos, fui a um gastro que me diagnosticou com TAG e receitou paroxetina e zolpiden.

No começo, eu achei que esses remédios seriam a minha salvação. Tomei o zolpidem a noite, e em menos de 5 minutos, já estava dormindo. Tive uns sonhos muito estranhos e acordei lá pelas 7 da manhã com a boca e garganta mais secas que um deserto. Ainda de manhã tomei meu primeiro comprimido de paroxetina: 20mg de uma vez!

Não demorou muito e vieram os efeitos colaterais com força total. Meu apetite, que não andava muito normal, sumiu. No lugar dele, um forte enjoo. A boca ficou ainda mais seca. Não demorou muito veio também uma forte diarreia que por fim se resumia a apenas uma água amarela. Depois da diarreia, veio a ansiedade e uma grande agitação.

Mesmo tomando o hipinótico, dormi menos de 6 horas. E depois de tomar mais um comprimido de paroxetina, vieram todos os sintomas do primeiro dia. Liguei desesperado para o médico. Ele me disse que eu devia passar para meio comprimido para que meu corpo se acostumasse.

De fato, com 10mg os efeitos colaterais eram mais leves, mas ainda sim insuportáveis. Tomei a paroxetina por mais uns 10 dias. Eu emagreci ainda mais, meu cérebro estava a ponto de virar geleia e eu já fazia planos para por um fim ao meu sofrimento tomando os 14 comprimidos restantes de zolpiden de uma vez. Juntei o que restava de minha força de vontade e resolvi tentar parar de tomar os dois remédios e ver no que dava.

O intestino melhorou logo de cara: a diarreia líquida e amarela parou. A fome foi voltando ao normal até que rapidamente. O mais complicado foi a inquietação e a ansiedade. Elas pioraram um pouco com a suspensão da paroxetina e passei a ter taquicardia. Pouco a pouco fui normalizando até que em cerca de uma semana, eu já estava como antes do primeiro comprimido.

Um tempo se passou, a depressão continuou, comecei a fazer terapia, melhorei um pouco. Marquei uma psiquiatra para tentar voltar ao meu 100%. Expliquei para ela minha experiencia com a paroxetina e ela disse que, provavelmente, tudo aquilo tinha acontecido porque a paroxetina tinha sido introduzida muito abruptamente.

Ela me recitou 15mg de mirtazapina a noite e recomendou que eu voltasse a usar a paroxetina, mas que dessa vez, aumentasse a dose gradativamente. Não tive coragem de voltar a usar a paroxetina e usei apenas a mirtazapina. Senti uma grande melhora, não tive nenhum efeito colateral muito desagradável, mas ainda não estava curado.

Voltei no retorno e ela insistiu que eu tomasse a paroxetina. Comecei com menos de 1/5 do comprimido com os dois pés atrás. Para minha surpresa, só tive efeitos colaterais muito brandos e suportáveis.

Já estava ficando confiante, quando a depressão começou a bater mais pesado. Pensei: "isso logo passa". Poucos dias depois veio a diarreia líquida e amarela de novo, a ansiedade e a inquietação. Insisti por mais uns 2 dias e nada de melhorar. Parei mais uma vez.

Da segunda vez, os sintomas da descontinuidade foram mais leves. A ansiedade e a inquietação duraram menos que da outra vez, mas a diarreia perdurou por mais dois dias.

Hoje estou só com a mirtazapina. Estou esperando a próxima consulta com a psiquiatra. Devo começar o tratamento com um tricíclico. Espero ter resultados semelhantes ao da mirtazapina: efeito desejado e efeitos colaterais leves.

Por fim, só quero deixar claro que não demonizo a paroxetina. Para algumas pessoas, ela funciona bem. Para mim, infelizmente, não foi assim.

Raissa disse...

A primeira vez que tomei paroxetina foi a dois anos atras, e tomei por três meses. Na época tinha 19 anos e estava muito mal, triste e ansiosa, timida, sem atitude e vontade de nao existir mais. A ansiedade veio desde quando eu era pequena e ate hj tenho medo um pouco das pessoas. Nao gosto q ninguem me olhe, tenho mania de perseguiçao, acho q minha familia nao me apoia e nao me dao atençao, e acho que ninguem gosta de mim. Bom, entao eu tomei por 3 meses e parei de tomar pq o remedio acabou e a mamae nao queria q eu tomasse mais. Ela nao gostava da ideia de eu ir ao psiquiatra e estava com medo de eu ficar viciada. Entao eu parei e fiquei com muito enjoo, dor de cabeça, diarreia, e pesadelos. Mas depois de 1 semana sem toma-lo nao estava mais sentindo os sintomas de abstinencia do medicamento. O legal é que melhrei muito com a paroxetina, fiquei mais desinibida mas me achei estranha com isso e sem personalidade. Estava com saudade do que eu era antes. Bom, dois anos se passaram e os sintomas de depressao voltaram de novo. O meu novo emprego me deixava estressada, sem falar nas colegas de trabalho que nao gostavam do meu jeito antissocial e ainda estava insatisfeita com meu salario. Alem disso, achava q minha familia nao fazia nada por mim, e a faculdade estava uma loucura com a formatura e o tcc. Entao me lembrei da paroxetina, precisava dela novamente. Pelo menos ate o ano q vem quando a "poeira baixar". Meu plano era sair do emprego quando eu passasse em um concurso publico. Mas aconteceu que eu fui demitida e descobri que nao estava paranoica, sabia q nao gostavam de mim. E minha chefe fez de tudo para me tirar. Nunca fui incompetente e sempre fiz meu trabalho direito, mas a minha maneira de ser incomodava as pessoas. Bom, tbm descobri que o serviço publico é o mais certo para mim, pq alem do otimo salario, a pessoa tem estabilidade no emprego. Confesso q fiquei assustada com a minha demissao, nunca imaginei isso. Fiquei assustada com as pessoas e com o emprego privado e imagino q todas as empresas sao assim. Bom continuei tomando o remedio mas desta vez fiquei com muito sono e falei com a medica. Entao ela disse pra eu tomar a noite antes de dormir e disse que eu ia terminar o tratamento em março do ano q vem. Tomei á noite e continuei com muito sono o dia todo, mesmo nao estando trabalhando e ja formada. Entao decidi parar o medicamento e deixei de tomar a 3 dias. Com os mesmos sintomas de antes mas com uma sensaçao de loucura e muito medo de dormir e acordar doida. Com pensamentos chatos de suicidio e tendo medo de fica louca e cometer. Mas no fundo sei que isso é da paroxetina. Ja me livrei disso uma vez e vou me livrar de novo se Deus quiser. Acho q Nao preciso mais desse remedio. Pq estou formada e tenho tempo para eu estudar pra concurso. Espero q quando eu passar minha vida melhore, eu perca mais a ansiedade e planeje mais viagens para eu me divertir. Tbm estou fazendo ballet e descobri que fico muito feliz praticando ballet. Nao me arrependo de tomar a paroxetina, me ajudou nos momentos dificeis. Mas eu prefiro ser eu mesma! Obrigada pela oportunidade de falar.

Lara Gonzalez disse...

Tomo paroxetina 20 mg/dia há um ano e meio após ser diagnosticada com TAG (transtorno de ansiedade generalizada).
Por pura falta de atenção esqueci de comprar e ela acabou há mais ou menos 7 dias. Nos dois primeiros dias não senti nada e resolvi não comprar mais para tentar parar.
Os sintomas começaram fortes. Minha cabeça dói constantemente, mesmo que seja uma dor fraca. Sinto enjôo e essa sensação de vertigem mal explicada. Meu humor anda oscilando de normal, para triste e irritada. Não tenho exatamente pesadelos, mas sonhos tão vividos que parece que estou acordada, e quando realmente acordo, estou mais cansada de qnd fui dormir. E a maldita sensação de choque! Às vezes piso no chão e ela sobe pelos pés até sacudir a cabeça.
Comecei um relacionamento há pouco tempo, com uma pessoa que agora não está em uma boa fase. Sabendo agora quanto tempo esses sintomas podem perdurar, desanimei de tentar a descontinuação agora.
Quero estar equilibrada para ajudar meu companheiro, e, sinto que se eu ceder agora, as coisas não correram muito bem.
Inclusive, após a interrupção, me sinto insegura ao extremo com qualquer coisinha em relação a ele, e isso me prejudica ao longo de todo o dia, tomando minha cabeça e não raciocinando direito.
Quero sim, fazer a descontinuação, mas creio que agora não é o melhor momento. Esperarei ele estar bem para poder me ajudar a passar por isso.
Nunca achei que parar fosse tão ruim, e meu médico não me alertou sobre isso no início do tratamento.
Mas esse site me ajudou a ver que essas coisas vão passar.

rebecca disse...

Em agosto de 2011 fui diagnosticada com TAG e síndrome do pânico. Me assustei muito na época porque nunca tinha sentido nada igual e eu me encontrava completamente sozinha pela primeira vez na vida. Após tratamento ineficaz com Lexapro, iniciei a paroxetina e finalmente, depois de tanto tempo me sentindo tão mal consegui ver uma luz no fim do túnel. Três anos se passaram, sendo que na maior parte do tratamento tomei 20mg, mas cheguei a usar 40mg algumas vezes. O remédio me trouxe cinco quilos, muita insônia e falta de concentração. Para tentar diminuir os efeitos colaterais, minha psiquiatra receitou outro medicamento em doses altas, mas sem resultado algum.
Há dois meses, cansada de dormir mal e de estar acima do peso, percebi que a minha realidade era outra: o stress que provavelmente me levou a tanta ansiedade não existia mais, além de não me encontrar mais sozinha. Decidi, portanto, cortar os medicamentos. Primeiro parei com aquele destinado a tirar os efeitos colaterais da paroxetina e em seguida diminui a mesma para 15mg. Passada uma semana, reduzi para 10mg. Foi aí que me senti pior: experimentei tonturas, tristeza e muita, mas muita dor de cabeça.
Uma semana atrás, passei para 5mg e há três dias resolvi parar de vez. Desde então sinto apenas uma leve tontura, bastante irritação e tristeza, mas acho que estas duas últimas não são pelo remédio, mas porque fui obrigada a conviver com uma pessoa bem difícil estes últimos dias.
A paroxetina me ajudou muito quando precisei e tenho certeza que não teria conseguido passar por aquele momento sem ela, mas também sofri muito com seus efeitos colaterais. Tomei consciência que não poderia ficar refém dessa droga pro resto da minha vida, e mesmo com medo de voltar tudo à tona, tomei coragem e afrontei o desafio.
Recomendo a todos que queiram parar, que não tirem de vez. Já tive a experiência de ficar sem o medicamento durante três dias, de soco, por puro esquecimento e sofri muito com os efeitos fortíssimos da “abstinência”. Realmente espero que continue dando tudo certo e que eu possa dar um fim à esta fase.

Natalia Teixeira disse...

Tomo paroxetina há uns três anos e já tentei me livrar da droga umas três vezes, mas sem sucesso... Não posso deixar de relatar que em muitos momentos ela me ajudou, principalmente na prevenção das crises de pânico, mas devido aos seus efeitos colaterais (sono excessivo e ganho de peso, entre outros) vou parar definitivamente, mas para isso vou pedir orientação médica. Daqui a alguns dias retorno contato!

Rose disse...

A paroxetina me ajudou muito com o panico, foi muito eficaz,no momento de alto stress , ajuda a dar uma boa equilibrada, mas com efeitos colaterais..., diminuição da libido, aumento de peso e muito sono, estou tentando retirar pela terceira vez, os sintomas de abstinencia são irritação ao extremo e sonhos confusos, dessa vez estou tentando tirar de forma bem gradativa, tomava 20 mg, passei para 15 mg fiquei 04 meses, depois 10 mg, 06 meses, e agora estou em 05 mg a 04 meses, estou muito confiante que vou conseguir me livrar dela........boa sorte a todos

Juliana & Rodrigo Moreno disse...

18 anos com paroxetina, 2 semana sem, vamos em frente!

Adriana Fulanete disse...

estou ah 10 dais sem a paroxetina, e Eu acordei hj com um sintoma horrivel, uma sensação de cabeça pesada e confusão, tentei andar mas a sensaçao era muito ruim, estou tendo sonhos vividos, suor excessivo, mas o pior é esse peso na cabeça essa sensação de vertigem e visão turva, estou quase desistindo. :(

Rose disse...

Adriana, na minha opinião e experiencia, não pare de tomar de repente, tem que ser bem aos poucos, se não os sintomas são muito fortes, eu tomada 20 mg, passei para 10 mg e agora estou em 5 mg, e mesmo assim tenho esses sintomas em menor grau, mas tenho.

Karina Câmara disse...

não desista Adriana, é exatamente assim que aconteceu comigo, tinha choques também pelo corpo repentino, mais passa, pensa todo dia , vai passar, e é verdade, jajá volta ao normal, não desiste pq voce aguenta.Fica fica firme.Abraço.

Edinaldo nedino disse...

Olá.
Meu Nome é Edinaldo e estou no processo de desmame tambem,a duas semanas atras eu teitei parar bruscamente,pois não tinah encontrado esse site,e senti um sintoma Horrivel,pois fiquei 8 dias sem tomar o paroxetina,e nãos abia o que estava acontecendo comigo,quase faço besteira,pois a sensação de morte era Horrivel,mais encontrei esse site aqui e que me ajudou bastante,estou parando aos poucos e vou conseguir se Deus quiser,pois estou alternando os dias e os Sintomas já estão menores,graças a Deus.
abraços a Todos e parabens pelo site

Tatiana Serzanink disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
julia alves disse...

Já tem 2 anos que deixei a Paroxetina... Não tive mais crises de ansiedade, mas durante um tempo acho q fiquei meio hipocondríaca... kkkk Achava que ia morrer a qualquer minuto...
Eu não sei se é assim com todos, mas acho que bloqueei as memórias na época do desmame... Eu não lembro direito das coisas que aconteceram ou de como foi, eu só lembro que foi muito ruiim.. E que eu ficava triste o tempo todo...
Mas agora dois anos depois eu tenho uma vida normal...

Voltei p faculdade que eu fui obrigada a parar por causa das crises, vou me casar e estamos planejando um bebe... :)
Eu voltei a escrever pra dar um pouco de esperanças a todos vcs que ainda estão tentando se livrar dessa droga: É possível!!! Tenham fé e coragem pra passar por tudo isso... Não desanimem...
Desejo de coração que vcs consigam e que postem aqui depois sobre a recuperação de vcs...
Boa sorte para todos...
que Deus abençoe cada um d vcs!!!

maria maria disse...

Comecei a tomar paroxetina à cerca de 4 anos atrás. Na época estava com um problema de ataques de pânico. Consultei de imediato um psiquiatra de modo a tratar o problema. O tratamento consistiu então na toma de paroxetina. De imediato o pânico passou, e até hoje, já lá vão 4 anos e nunca mais tive nenhum sintoma de pânico. Inicialmente durante uns tempos tomei apenas meio comprimido, posteriormente passei a tomar um comprimido inteiro por dia. No entanto,infelizmente o acompanhamento médico deste tipo de patologias em Portugal é muito deficiente, uma vez que no meu caso o psiquiatra do serviço nacional de saúde apenas me ajudou receitando o remédio, pois trabalho de psicanálise não existiu. Não posso dizer que tenha tido uma boa experiência com os médicos, pois a meu ver, eles apenas sabem passar remédios. Tratar nem pensar. A psiquiatra não me ajudou a compreender de onde vinha o meu problema de pânico, com vista ao tratamento. Limitou-se a encaminhar-me para um psicólogo, e aí sim, tentar-se-ia encontrar um tratamento com psicologia. No entanto até hoje já lá vão 4 anos e nunca me chamaram. Pois é, este é o caos da falta de psicólogos no serviço nacional de saúde em portugal. Uma vez que a contratação de um psicólogo particular é cara, não tive possibilidades de o fazer, até porque durante estes 3 anos eu fui estudante, e tinha um orçamento muito limitado. Mas uma vez que neste momento já terminei os estudos vou então pagar do meu bolso um psicólogo, e definitivamente fazer o desmame da paroxetina, pois já está na altura.
E porque já está na altura???
Está na altura porque começo a sentir que apenas um comprimido por dia já não me é suficiente, tal é o vício que o meu organismo já tem do medicamento. Ultimamente sinto que os efeitos secundários que anteriormente sentia caso estivesse pelo menos 2 dias sem tomar o remédio, basta-me estar um pouco menos de 24 horas sem tomar o remédio que já sinto uma ligeira náusea, tontura, enjoo, e uma sensação super desconfortável de ar dentro do peito. Uma capacidade irracional de controlar a respiração, uma vez que o ar se acomula de forma anormal dentro do peito. E é isto. Não me arrisco a aumentar a medicação sozinha sem acompanhamento médico. Quem me tem passado as receitas durante estes 3 anos tem sido o médico de família. No entanto este não tem capacitação para avaliar o problema devidamente, e a solução que este me apresentou foi iniciar o desmame. No entanto tenho medo. Tenho muito medo de fazer um desmame sem acompanhamento de um profissional de saúde mental que desenvolva comigo uma terapia que me faça resolver o problema sem medicamentos. Ou seja, o meu medo é ao deixar o remédio, voltar a ter ataques de pânico. Algo horrível que só quem já passou por um, sabe de que se trata. Sabe o quão horrível é, e o medo que qualquer doente tem em o voltar a ter de novo. Vou então consultar um psicólogo privado, para então me acompanhar nesse desmame, uma vez que sinto que não basta a medicação para o problema ficar resolvido. Não posso apenas fazer o desma-me e pronto. É sem dúvida necessário mais que isso. Até lá, procuro não pensar muito nisso. Tenho receio dos sintomas que o desmame me possa trazer. Tenho acima de tudo muito medo. Tenho medo de ter problemas para trabalhar. Nem quero imaginar, se eu sinto o que sinto quando não tomo o remédio à 24 horas, nem quero pensar como será não o tomar por muito tempo e ter de fazer a vida normal, inclusive trabalhar. Deixo no entanto uma pergunta no ar. Agradecia que alguém me pudesse responder. DURANTE O PERÍODO DE DESMAME SERÁ ACEITÁVEL CASO OS SINTOMAS SEJAM MESMO INCAPACITANTES, SOLICITARMOS UMA LICENÇA DE BAIXA DURANTE UNS DIAS, DE FORMA A PODERMOS FICAR EM CASA E NÃO TERMOS DE TRABALHAR? OU GERALMENTE NESTAS CIRCUNSTÂNCIAS OS MÉDICOS N
AO PASSAM BAIXA? (EM PORTUGAL CHAMAMOS BAIXA, NÃO SEI COMO CHAMARÃO NO BRASIL) MUITO OBRIGADA.

Rose disse...

NA minha modesta opinião,se o desmame por feito de forma bem gradativa, os sintomas de abstinência ocorrerão , porém não serão incapacitantes. Também tive panico, fiz muita terapia de varias linhas de abordagem, psicalise, terapia cognitiva, PNL......tudo ajudou um pouco, a identificar as provaveis causas, e o que fazer no momento de disparo da crise. Eu procuro manter o meu corpo bem, em condições de reagir ao stress , faço atividade fisica , pratico meditação, respiro muiiiiiito, alimentação regrada e esse conjunto ajuda muito a manter o equilibrio do corpo e consequentemente o emocional. Espero ter ajudado...........hoje estou em 5mg de paroxetina e em frente, até a retirada total.....

Ricardo Costa disse...

Olá amigos,

O meu nome é Ricardo e tenho 24 anos...
Comecei a deixar a paroxetina 20mg em troca do citaprolam. Está a ser complicado, tenho sensação de desmaios, corpo quente, ansiedade extrema e medo de ficar louco. Mas nós somos fortes ao contrário do que as pessoas pensam.

E vocês como vão?

Abraço, adorei o blog.

Obrigado

Rose disse...

A minha experiencia com paroxetina foi muito boa, na epoca tinha ansiedade extrema, palpitação, sensação de morte e de loucura, assim que comecei tomar 20 mg, os sintomas desaparecerem, fiquei muito bem, foi muito eficaz, mas com o tempo, engordei e ficava muito sonolenta, por isso ,após estar com o quadro emocional estabilizado, comecei a retirar a medicação de forma gradativa. Mas gostaria de enfatizar que a paroxetina me ajudou muito no periodo em que precisei.

Diego Gustavo disse...

Amigos uma coisa posso dizer um amigo que me ajudou bastante e pode te ajudar
é JESUS CRISTO , e antes que vierem me apedrejar não to falando de religião e nem de usar Deus como amuleto ou algo assim, mas na minha vida quando descobri que podia
contar com Deus e saber que ele me ama e me entreguei pude dividir esse fardo com ELE realmente pude me sentir mais leve para enfrentar essa luta que não é facil,mais pela primeira vez tive certeza que ia vencer,em meio as crises e os pensamentos que as vezes parece que vamos ficar louco,vinha outro pensamento que encobria esses pensamentos ruim e eu me vejo la na frente bem sem precisar de nenhum tipo de medicamento,pra minha vida funcionou e esta aliviando bastante minha luta,não sou pastor,nem padre,nem medico,tenho 25 anos e sou uma pessoa comum,se pelo menos eu ajudar uma pessoa e se pelo menos uma pessoa sentir bem e pensar sobre isso que eu escrevi ja ficarei feliz. abraços Diego

Diego Gustavo disse...

Boa tarde, tomo pondera ha 9anos,comecei com 15mg por causa de inicio de depressão,
tomei me senti bem não voltei mais no médico afinal de contas me sinto bem,não
preciso mais de medico dava um jeito na receita quando precisava,passado cinco anos
um falecimento na familia me senti mal fui num clinico geral qualquer,resultado sem
exames nem precisei falar muito ele dobrou a dosagem 30mg,tomei me senti bem,tudo
otimo mais alguns anos sem voltar ao medico,comecei a me sentir mal como se o
remedio não tivesse mais fazendo efeito,voltei ao medico dessa vez fiz todos os
exames neurologicos e cardiacos e de sangue ou seja checagem completa tudo normal,
diagnostico crise de nervoso ou seja, se eu passar um nervoso ou estresse grande
passo mal,comecei a tomar 20mg. e vida que segue,mais ou menos de 5 a 6 meses eu
tinha uma crise estranha pra resumir era todas os sintomas de um avc,não aguentava
mais pedi pra Deus orei e na ultima crise a um mes atras fui no medico e um clinico
geral me atendeu na emergencia,contei a historia da minha vida para o medico
plantonista e ele só me olhando na hora que eu contei tudo ele bem nos meus olhos e
fala:Eu vou te falar uma coisa que ninguem nunca te disse um diagnostico que voce
nunca ouviu.E perguntou.Voce acredita em Mim.Eu na hora suei encheu meus olhos de
lagrimas e falei acredito,pra resumir ele me disse que eu tinha uma coisa chamada
"enxaqueca com aura" nunca tinha ouvido falar disso e começamos a conversar,e ele
me disse que aquele medico la atras que me receitou pela primeira vez o pondera,me
deu um diagnostico errado e 9 anos depois eu descobri,ou seja por um erro to pagando
(tudo bem que parte é minha culpa por não ter ido atras e procurado direito)e agora
ta complicado deixar mais sei que vou conseguir.Mais podia ser bem mais facil.Ele
me indicou uma neurologista e eu estou deixando o pondera aos poucos e ta dificil
mais vou conseguir.
Então 1ºVeja o profissional certo,pesquise na internet,peça
indicação de medicos que voce confia.
2ºConfie e peça a Deus pra Ele te ajudar que Ele nunca vai te abandonar e vai te
ajudar na hora da crise confie e tenha fé que pode ter certeza que vai ser muito
mais facil,com um parceiro igual a Deus na luta contra a diminuiçao e a abstinencia
dos antidepressivos e qualquer luta na sua vida,então não desista e vamos pra luta
irmãos que tenho certeza e FÉ no Deus Espirito Santo,Deus Filho Jesus Cristo e Deus
Pai, teremos nossa vitória.
Orarei por todos do blog.
P.S.:Não sou pastor,nem padre,nem falo em nome de nenhuma religião ou igreja,
sou só um cara comum que no momento está enfrentando um desafio e que tem fé em
Deus e em nome do Senhor Jesus Cristo acredito que em breve vencerei.
Sou de Curitba/PR,tenho 26 anos meu nome é Diego,
quem precisar conversar ficarei feliz em ajudar.Abraços

Jose Braz disse...

não difícil não, o medo faz tudo se tornar complexo. obstinencia pelo que sei não mata, eu tomei essa droga paroxitina por 5 anos, e parei da seguinte forma . fui reduzindo a mesma dia após dia ate parar por completo, tomei dramim para enjoo, tonturas, tb dizepam de 20 a 30 miligrama e por final bup que por sua vez retirou toda obstinencia . esforço fé vontade ...... é a meta certa . se presizar de amigo jdbsyssa@hotmail.com estarei pronto a te ajudar pois o apoio é nesseçario . abraçaço . espero ter ajudado.

Gislaine Ramos disse...

ola pessoal, eu tambem tomo paroxetina a 2 anos de 20 mg, e estou querendo desmamar por conta própria tomando a metade por dia e ja estou sentindo os efeitos de abstinência. espero conseguir viver libre dessa droga.

DEUS É FIEL! disse...

TOMEI PAROXETINA A 7 ano, 40 Mg
A 5 dias RETIREI DE UMA VEZ:
SINTOMAS:
TONTURA
NÁUSEAS
ANSIEDADE E MEDO
DOR NO PEITO
NÁUSEAS
TREMORES

DESISTIR? JAMAIS!!! JESUS ESTA AO MEU LADO!!!
Lá posso ver a luz no fim no túnel! Hora após hora, dia após dia! VOU VENCER EM NOME DE JESUS!

LEMBRE SE NÃO ESTAMOS COM DEPRESSÃO E PÂNICO!!! ISSO TUDO QUE ESTAMOS PASSANDO É SINTOMAS DA RETIRADA DESSE REMÉDIO MALDITOO!!!

OBRIGADA POR ESSE SITE!!! ME AJUDOU MUIIITO, DEUS ABENÇOE O CRIADOR DELE!!! podemos ver que não estamos só!

SOMOS MAIS QUE VITORIOSOS EM CRISTO JESUS, CREIAAAAA! BUSQUE ELE!!! NÃO DESANIMEM!!! ESTÁ QUASE LÁ... E QDO TUDO ISSO PASSAR VOLTO PARA DAR TESTEMUNHO!!!!
FORCA!!!!!!

Tati Gazotto disse...

Ao contrário de que muitos dizem, Somos guerreiros(as) !!!
Aposto que quem nos julga de loucos não suportaria 1 dia sequer de tudo o q já passamos!
Sou louca sim, louca por Jesus! ;)

Tati Gazotto disse...

Que bençao Julia!!! É muito bom ouvir isso, sendo que estou no meio do desmame, obrigada por seu testemunho, me ajudou a esperar a vitória, sei que ela tb chegará p mim, vc lembra quantos dias levou até passar os efeitos do desmame? Fique com Deus, que Deus abençoe seus projetos e familia

Tati Gazotto disse...

Hj faz 7 dias que parei com tudo!!! E para Honra e Glória do Senhor Jesus estou 99% curada, esta quase lá, sonhos vão ser restituidos, vida, família, alegria de viver!!! Só em Cristo

Tati Gazotto disse...

9 dias sem eles e só estou snerindo um pouquinho de ansiedade ao acordar, Deus é fiel!!!!!

Fernanda Guimaraes Duarte disse...

Olá, meu nome é Nanda, tenho 24 anos. Tive problemas como transtorno ansioso depressivo. Cheguei a entrar no inicio de síndrome do pânico. Graças a Deus tive tratamento e hoje me considero curada. Usei 20 mg de Paroxetina durante 1 ano e meio, estou no desmame usando 10 mg. Lembrando que a recuperação rápida que tive, foi acompanhada por terapia individual e em grupo, isto me ajudou bastante. Mas acreditem a fé em de Deus acima de tudo, que tudo dará certo é 100 % de certeza que a recuperação é mais rápida. Tudo tem o seu tempo, não tem que se preocupar ou se desanimar, o que tiver que acontecer irá acontecer e lembrando que os baques na vida é para um aprendizado e que se hoje não foi bom, amanhã será um dia melhor. Orgulhe-se, você pode comandar sua mente, então envie sempre lembranças boas ao seu celebro e coisas positivas, não sofra antes, respire fundo 10 x diante de seus problemas, ore, tenha fé. Pois tudo é possível e tem solução, só não há solução para um única coisa: A morte. Então viva a cada dia, sorria e seja feliz, porque o amanhã a Deus pertence! A todos uma excelente recuperação e boa sorte! Deus os abençoe.... :)

Tati Gazotto disse...

Amém Deus é contigo

Priscila disse...

Olá Meu nome é Priscila tenho 36 anos e há 20 anos tomo paroxetina , isso mesmo 20 anos.;para tratar de uma sindrome do panico e tiques. Foi muito bom tomo até hj 40mg e sempre pensei em tomar minha vida inteira, mas agora fazendo uma dieta e e exercicios estou encanada se é o medicamento que está me atrapalhando. O que acham?

Tati Gazotto disse...

Hj faz 15 dias que estou limpa!!! Uhuull sobrevivi ao DESMAME PARA HONRA E GLÓRIA DO SENHOR!

Alcemi Hortins De Souto Macedo Hortins disse...

Tenha fè!!!

ale disse...

Hoje estou mau tomo paroxetina há 3 anos mais já parei 3 vezes de uma vez isso me fez muito mau hoje tomo um dia e outro não apesar da luta pra deixar de tomar esse medicamento parece que não dá estou me sentindo mau com vontade de sumir mais não é só por causa do remédio o ambiente familiar está uma droga nada ajuda estou mau essa dor no peito essa vontade de não viver me consume só Deus podee ajudar mais está difícil pior não falo com ninguém pq ninguém entende sou evangélica e sempre vem críticas ao invés de conforto me sentindo caindo no abismo e sem forças pra sair.

Mara disse...

Meu nome é Mara e tô descontinuando a 22 dias, no começo senti tonturas durante 7 dias, e depois alguns ataques curtos de panico. Quero ter força para continuar, essa fase tá difícil porque peguei uma gripe forte e os sintomas se confundem, fiz desmame corretamente como a médica mandou, essa semana fiquei bem como se nada tivesses acontecendo, porém gostaria de saber se esses curtos episódios de panicos fazem parte desse processo de descontinuação? Confio muito em DEUS que vou parar, mas gostaria que alguém me ajudasse a entender esse processo.

Rose disse...

Quero transmitir a minha experiencia, por uma situação de panico, comecei a tomar paroxetina 20 mg, tomei 04 anos, nunca mais tive nada, tentei parar duas vezes, fazendo o desmame para 15 mg, depois 10 mg , 05 mg ate retirar total, cheguei a ficar 04 meses sem , mais tive outra crise de panico, retornei com a medicação e fiquei otima por mais algum tempo, tentei parar uma segunda vez e a crise retornou, consegui reduzir até 10 mg fiquei uma ano com essa dosagem e não tive nada, , agora recentemente tentei retirar e passei mal de novo, conversando com a médica cheguei a uma conclusão particular , no meu caso, tenho uma questão genetica importante, , assim como diabetico tem que tomar insulina diaria, hipertenso tem que tomar remedio diaário p pressão, eu tenho uma disfunção e tenho que tomar paroxetina 10 mg , diariamente, que e uma dose adequada ao meu caso e que me faz eu me sentir muito bem, e segura, portanto, na minha opinião, o importante e estar bem, todos os recursos devem ser usados para o nosso bem estar, pois o panico é a pior sensação que ja experimentei, e não espero te-la mais,espero ter contribuido.

Rose disse...

Ale só você sabe o que esta sentindo, é dificil descrever essas sensações para quem nunca teve, a pessoa sempre vai achar que você tem o controle, isso é um preconceito com o problema. se vc tivesse diabete , ninguem acharia que o seu pancreas tem que produzir insulina com pensamento positivo, se informe, leia sobre o seu problema, cada caso e um caso, e veja o medicamento como uma benção, e não como uma coisa ruim, "Ainda bem que Deus iluminou os cientistas para descobrirem os antibioticos contra infecções e a paroxetina para nos que precisamos" , o importante e estar bem, sem essas sensações terriveis.

Tati Gazotto disse...

Tente sair do ambiente que vc vive, se vive com os pais, procure outro lugar para morar.. Tb sou evangélica, Deus nao se esqueceu de vc, continue firme que sua vitória vai chegar em nome de Jesus! Peça um escape para Deus!!! Ninguém merece morar e conviver com pessoas q nos deixam para baixo... Se for casada peça aconselhamento para alguma pastora! Só não retroceda, Deus não tem prazer nesses!! Fique na paz

Bruno Neyhaus disse...

olá pessoal bom fui diagnosticado com sindrome do panico vivo pensando que vou ter um enfarto fiz mil eletros ficava medindo meus batimentos toda a hora fui ao cardiologista nada teste ergometrico nada e bom muitos exames... comecei o tratamento com paroxetina 15mg e no primeiro dia já comecei a sentir uma tontura fora do normal inescapável como se eu tivesse bebado mas lucido e uma forte náusea mas sem vomito faz apenas dois dias que comecei e se já sinto isso em dois dias imagina mais para a frente sera que eu paro de tomar já que é apenas no começo do tratamento ou não? deu um pouco de panico também logo que senti isso kkk. me sinto até melhor em apenas dois dias parei com o toque de ficar toda a hora com a mão no peito e etc mas essas náuseas e esses depoimentos me deixaram com medo de tomar oque fazer?

Alexandre Trevizoli disse...

Tomo paroxetina a 13 anos, Estou a 20 dias sem paroxetina(após os ultimos 3 anos tomando 10mg de 2 em 2 dias, as vezes de 3 em 3), a tontura ainda é muito forte, a irritabilidade também, algumas pequenas crises de ansiedade mais nada impossível de suportar, o que mais incomoda é a tontura e por quanto tempo será que isso ainda irá durar?
Infelizmente fiz tudo sozinho, realmente como vários falaram não é a melhor maneira, mas infelizmente foi o caminho que segui. Não penso em desistir de maneira alguma, mas os sintomas estão bastante ruins apesar dos 20 dias sem medicamento. Achei que com 20 dias já teriam passados esses sintomas.
Seria bem importante alguém escrever sobre como foi o processo, se conseguiu parar mesmo, se desistiu, quanto tempo durou até que os sintomas tenham sumido completamente, acho que ajudaria a todos.
Eu se possível pretendo escrever aqui, assim que algumas coisas melhorarem. Fiz um teste tomando 0.25mg de alprazolam, realmente os sintomas melhoram bastante, mas não sei se adianta parar um remédio e iniciar outro?
Qualquer comentário é importante, principalmente se for de alguém que já passou e sabe como é.
Um grande abraço a todos!
Obs: eu havia escrito um comentário bem mais detalhado, porém não entendi o que ocorreu que ele enviou mas não publicou.

Karina Câmara disse...

Nao desista de modo algum!Nao posso falar quando irá passar porque vai de cada organismo.Acredito eu que o Alpraziolam será de grande ajuda,pois ele tira a ansiedade, eu creio ser bem mais fácil ficar sem o Alprazolam.Eu fiquei bem mais de 30 dias sentido os efeitos terriveis da falta da Paroxetina,mas a boa noticia é q passa,o corpo demora pois sao mtos anos tomando.Fique firme.Espero ter ajudado.

Alexandre Trevizoli disse...

Karina obrigado, pretendo não desistir não. Acredito que quanto mais pessoas publicarem suas experiências mais fácil fica para outros que estão no mesmo caminho.
O apoio das pessoas é o mais importante. As vezes parece que algumas pessoas acham que por você não tomar o remédio vai surtar a qualquer momento, e isso as vezes desanima um pouco, principalmente pq quem está parando já tem esse medo, de que aquela sensação anterior(cada um iniciou o tratamento por algum motivo) volte.
Gostaria de saber se alguém que usou o medicamento e teve os problemas de ansiedade controlados durante o período do uso, quando estava na fase da descontinuação teve alguns sintomas de ansiedade? E se este sintomas eram realmente da ansiedade ou se eram apenas efeitos da descontinuação, pois quando passou o período da descontinuação os sintomas melhoraram e foi possível levar uma vida normal sem remédios?
Um abraço a todos....

Rose disse...

Alexandre, pensei muito em postar um comentario, pois não quero influencia-lo de forma negativa... Tomo paroxetina 07 anos por uma situação de panico, tentei parar 03 vezes, e os sintomas de antiedade e irritação são muito grandes, sendo da ultima fiquei 05 meses sem, mas a minha qualidade vida piorou, estava muito ansiosa, muito irritada, brigando com tudo, dificuldade para durmir, até um ponto que preferi voltar com a medicação, e parar de sofrer, me sintia muito mal, priorizei o meu bem estar, e uma melhor qualidade de vida, consegui diminuir a dosagem , tomo 10 mg e me sinto muito bem, e nao pretendo parar. Essa e a minha experiencia, lembrando que cada caso e um caso, ok? abraços e boa sorte

Gabriel Neto disse...

Ola uso a paroxetina por 4 anos e meio. Tomo 10mg todos os dias por motivo de panico e tristeza, tentei para 1 vez tomando dias alternados mas nao consegui os mesmos sintomas voltavam. Moro nos EUA e meu medico esta no Brazil entao fica dificil ter uma ajuda, aq os medicos sao muito caros, como devo fazer? quero muito parar mas tenho medo. Por favor me ajundem.

Wal_NY disse...

Alexandre Trevizoli, parabéns pela coragem! Tomei paroxetina por 10 anos e parei faz dois meses, tirando 10mg por dia conforme uma tabela que encontrei sobre retirada. No início, quando comecei a retirar até 3 semanas depois que parei totalmente, tive sintomas de ansiedade forte, o que tinha inclusive me levado a tomar esse remédio. Mas como você perguntou, eu também sentia isso durante o tratamento. Depois desse tempo passou. Começou então uma depressão forte (1 mês e meio depois, hein?). Junto com ela veio problemas digestivos. A depressão forte passou duas semanas depois. Então começaram os sintomas digestivos (mal estar, sensação de barriga vazia, dificuldade para dormir). Em um site americano descobri que temos que nos alimentar de porções menores, mais vezes ao dia. Tudo bem, isso eu já estava fazendo, mas o problema continua até o momento. No mesmo site indicava que devemos tomar vitamina B para isso. Vou começar hoje. Mas como podemos ver, estou tendo sintomas mesmo DOIS meses depois. Agora, temos que ter em mente que se paramos, é porque não estava bom. Se não está bom, melhor sem os remédios. Por que? Porque a sanidade melhora e fica mais fácil lidar com a ansiedade e com pensamentos repetitivos. Estou muito mais calmo. Essa depressão - que me fez querer voltar ao remédio - passou e agora tenho somente problemas digestivos e dificuldade para pegar no sono e mantê-lo. Vou postar aqui mais detalhadamente minha experiência para ajudar aqueles que tomam paroxetina há mais de dez anos, pois é difícil (ou impossível) encontrar informações sobre gente que toma há tanto tempo e resolver parar. Vou dizer como foi minha experiência incluindo o que sofri com ansiedade e depressão - mas passou, a depressão e a ansiedade passaram. Isso seria o efeito "rebote", quando sentimos o que nos levou a tomar o remédio tudo de novo. Passou.

Pfrofessora Jul disse...

Agende no seu celular os horários p tomar a medicação, assim não tem como vc esquecer. Isso é muito sério. Cada vez q vc esquece, praticamente volta para o zero.

Pfrofessora Jul disse...

Não pense assim. Com certeza, a troca de experiências é fundamental. Eu li e tenho certeza q outros também leram e torcem pela recuperação de todos.

Patrícia Amaral disse...

Olá pessoal, tenho depressão há mais de 15 anos e a paroxetina é minha companheira junto com o Bup e o Topiramato. Não é fácil, odeio esta doença,tem outros casos na família, já perdi mt, faculdade, negócios, etc, por causa dela e sempre lutando. Trabalhava demais, abusei de meu corpo e mente, mas o pior de tudo é não ter a mesma atividade de antes. Tenho 39 anos e sou limitada, isso acaba comigo, mas quanto à paroxetina, sem ela sempre piorei, e não acho que seja dependência e sim tratamento, pois se tivesse melhorado, já poderia ter saído dela.
O conselho que deixo aqui é que não façam nada, nada, sem o conhecimento de seus PSIQUIÁTRAS, estes são os médicos que estudam nossas mentes.
Parabéns e um forte abraço. Paty

Tham Sipionato disse...

Estou há mais de cinco anos tomando Paroxetina por conta do TOC, que tenho desde criança. Já tentei parar por duas vezes, para iniciar um tratamento com Fluvoxamina (um novo medicamento para tratar o transtorno com efeitos colaterais mais brandos). Infelizmente, não consigo descontinuar a Paroxetina, passo muito mal e chego a ficar de cama... Sinto muitos enjoos, tontura, vertigem, vômito, um mal estar terrível.
Espero um dia conseguir me livrar da Paroxetina que foi e é excelente para o tratamento dos sintomas do TOC, mas às custas de muitos efeitos colaterais: sono, desânimo, diminuição da libido e um ganho de peso de mais de 25 kgs em 5 anos!

Cristina disse...

Eu moro na Alemanha e meu Psiquiatra me receitou Paroxetin 20 mg. Tomei por 2 anos. Achei que estava na hora de parar, porque estava me sentindo bem. Parei por conta própria e nem preciso falar dos resultados caóticos. Fui ao Psiquiatra e ele disse que eu terei de tomar o remedio por toda a minha vida, por causa das vertigens. Mas eu já passei para 10 gr. diarias e vou comecar a 10 gr. a cada 48 horas. Estou torcendo para sair dessa dependência maluca do remedio.

Tati disse...

Olá pessoal!!
Que maravilha encontrar esse site!!! Muito informativo, tdo mundo que toma a parox devia ter contato com esses depoimentos, são mto esclarecedores.
Comecei a tomar a paroxetina ha aprox. 10 meses por conta de um quadro de panico que comecei a desenvolver, como conheco bastante gente que sofre com isso, comecei a desconfiar dos sintomas e em 3 semanas procurei um psiquiatra que me receitou a paroxetina.
Como dizem, foi como tirar com a mão, em 3 dias já me sentia melhor. Inicialmente a medica disse que eu tomaria por aprox. 8 meses, que como eu nao tinha a sindrome do panico, nao era necessario o tratamento por 1 e 1/2 ano.
Durante o tratamento o que ficou mais nitido foi o aumento do apetite, e por consequencia, o ganho de peso. Adiquiri cerca de 10 kg!!! Além disso tem as espinhas que apareceram, o intestino que sempre foi otimo, ficou preguiçoso, a sudorese excessiva, a sede que nao passa nunca e perda da libido.
A medica comecou meu desmame, entao durante 40 dias deixei de tomar a parox de 35 e passei a tomar de 20, agora estou no decimo sexto dia tomando de 10 mg e qdo completar 30 dias volto a medica para ver como vamos proceder. Durante esse periodo de desmame apresento pouquissimos sintomas, apenas palpitacoes que vem do nada e desanimo.
No auge da crise emagreci 6 kg e nao conseguia comer, entao ela disse que o remedio ia aumentar meu apetite. O que de fato aconteceu, mas nao aguento mais engordar, sempre fui magra, já perdi tdas as minhas roupas, faco pilates e corro 2 x por semana, mas nada adianta. Mesmo assim, acredito que dieta e exercicios resolvam esse problema.
O meu maior medo, vendo tantos depoimentos, é não conseguir parar de tomar a medicação e eu queria mto conseguir lidar com os meus problemas e voltar a sentir de verdade a vida como ela é, como sempre consegui lidar. Mas tenho mta esperança e acredito sim que vai dar certo.
Não vi nenhum depoimento de alguém que tenha tomado o remedio por pouco tempo para me basear e nem sei se pra mim vai ser mais facil ou dificil do que pra quem toma ha mais tempo.
Gostaria mesmo de dizer a todos que fazem o uso e queiram descontinuar, que facam isso por meio do seu medico, pq pelos depoimentos que vemos aqui, parar por conta propria e do nada acaba levando a volta ao remedio. E todos nos sabemos como são horriveis os motivos que nos levaram a começar o seu uso.
De coraçao espero que todos nos consigamos ficar livre dessa medicação e vivamos uma vida plena!!!
Depois volto para contar como foi a segunda fase do desmame e se alguem tomou a medicação por pouco tempo, peço que tb escreva para que eu saiba como é!!!
Um abraço a todos.

Débora Guimarães disse...

Olá pessoal, boa noite a todos do blog que estão sofrendo com a descontinuação da paroxetiba.Meu caso é um pouco diferente já que estou mudando de medicação : tirando a Paroxetina e introduzindo o Ecitalopram. Estou me sentindo horrível, tive até uma gripe forte neste tempo (há uma semana estou me sentindo mal! ) sendo que eu nunca fico gripada, acho que a imunidade caiu de vez. Mas o pior de tudo são as sensações esquisitas e que me dão muito medo: não consigo ficar em pé pq tô tremendo e com muito mal estar, visão turva, desconforto, muita dor de cabeça, etc.
Estou lendo aqui e meu médico também já disse que é normal essas sensações da descontinuação, mas gente é de pedir para morrer pq é horrível. O que poderia melhorar esses sintomas gente??? Me ajudem!!!

Débora Guimarães disse...

Olá pessoal, boa noite a todos do blog que estão sofrendo com a descontinuação da paroxetiba.Meu caso é um pouco diferente já que estou mudando de medicação : tirando a Paroxetina e introduzindo o Ecitalopram. Estou me sentindo horrível, tive até uma gripe forte neste tempo (há uma semana estou me sentindo mal! ) sendo que eu nunca fico gripada, acho que a imunidade caiu de vez. Mas o pior de tudo são as sensações esquisitas e que me dão muito medo: não consigo ficar em pé pq tô tremendo e com muito mal estar, visão turva, desconforto, muita dor de cabeça, etc.
Estou lendo aqui e meu médico também já disse que é normal essas sensações da descontinuação, mas gente é de pedir para morrer pq é horrível. O que poderia melhorar esses sintomas gente??? Me ajudem!!!

116fb4cdc658f0c67d5e25b4c321bbc2b6d08ff310 disse...

Estava tomando Paroxetina de 20mg quase um ano, engordei 10 kg. Decidi parar e por algumas semanas estava diminuindo a dose para 10mg, resolvi parar de vez e desde segunda não tomo ( 3 dias) so estou sentindo sono ...será que r vou ter outras reaçoes, quanto tempo para iniciar as mais pesadas?

Marcio Negrisoli disse...

Eu fui diferente estou largando de tomar Pq vi que esse remédio nunca me curou , de vez em quando sentia os mesmos sintomas do pânico, então percebi a evolução minha sobre o controle do meu corpo e mente,a regra é clara fé em DEUS, e lembrar q os sintomas é Pq VC tá parando, ou seja, VC ta vencendo , tá saindo. Continuem nunca parem,Qto mais forte os sintomas mais certeza VC tem q tá vencendo.

Marcela disse...

Me ajudou demais qdo tomei e não tive problemas para parar!

Mary disse...

Olá. Como muitos já disseram, este blog é um alívio para aqueles que estão tentando parar de tomar a paroxetina. Digo "alívio", pois não estamos sozinhos, mas infelizmente o caso é muito difícil. Bom, comecei a tomar em 2007 devido depressão e crises de pânico. Em 2012 estava planejando engravidar e desde o início deste ano fui diminuindo. Sempre tomei 20mg, dai passei para 10mg e depois para 5mg. Com cinco não fiquei muito bem não, então voltei aos 10mg. Estava bem e comecei a tentar engravidar. Dois meses depois resolvi parar a paroxetina e, como sabia das tonturas, associei Labirinto com a retirada e deu certo. Fiquei 1 mês muito bem, até que troquei de emprego e a ansiedade pelas tentativas frustrantes de engravidar me levaram ao fundo do posso, de um dia para o outro. Choro, ansiedade, medo de morrer, falta de ar, desesperança, pânico..... Corri para meu médico, que na época era um neurologista e ele me disse: "está vendo o estado que está. Você não está bem. Vms melhorar?" E assim foi... Um mês com 30mg e depois continuo com os 20mg. Adiei as tentativas de engravidar até eu estar melhor. Bom, uma semana depois já estava bem e continuei com os 20mg. Depois tentei parar mais duas vezes e a história foi a mesma, porém a ansiedade vem cada vez mais forte. Retornei a psicotécnica e minha psicóloga me orientou a procurar um psiquiatra e parar de seguir com neurologista. Foi o que fiz. Resumindo. Desde 2012 tento engravidar e não consigo; após a paroxetina minha prolactina aumentou e desregulou minha menstruação; e desde março deste ano, 2015, estou sendo acompanhada pelo psiquiatra que trocou a paroxetina pela serrazina 50mg. Hoje faz cerca de 4 meses que estou sem a paroxetina, mas com a sertralina. Na verdade a sertralina só ajudou a não me dar as clássicas tonturas... Medo de morrer, falta de ar, formigamento na face, no na garganta, aperto no peito, desesperança, náuseas..... Tudo se mantém. Sempre digo que mato um leão por dia... É sempre um dia após o outro e cada dia de um jeito. Estou fazendo tratamento para engravidar mesmo com a serrazina, mas com muito medo de não dar conta. Este blog me ajuda muitooooo... Quando entro em desespero, leio os relatos e me acalmo. Espero poder ajudar quem me ler, pois não estamos sozinhos. E vms conversando... Um passo de cada vez, sem medo desembutir em frente.... E fé, muita fé a todos nós!!!

leticia santos barrozo disse...

Com fé em Deus.

Engenharia Civil disse...

gente obrigado por esse serviço que fizeram aqui, meu medico me receitou cloridrato trozadona tomei por um mes ( para me ajudar com efeitos de abstinencia de thc) senti muitos desses sintomas que descrevem aqui, ralei um pouco e hj estou 10 dias sem o remedio 30 sem thc, porem hoje ele me receitou o paroxetin 20mg, graças a voces nao vou tomar e procurar um tratamento alternativo, so nao como vou convencer ele, se ele sera convencido, ou terei que desestir dele, detalhe ele me trata com welbutrim a um ano que este remedio sim recomendo uma maravilha, digo isso agora antes de tentar desmamar dele que e o que vou fazer, saude a todos.

Nanamaro disse...

Olá! Tbm tenho depressão já fiz terapia e não adiantou nada então o psiquiatra me receitou paroxetina e foi a melhor coisa que aconteceu'!
Ele demora umas três semanas para começar a ver melhora mas é ótimo sim, não causa dependência, esses sintomas são apenas uma síndrome que ocorre quando estamos parando de tomar mas são passageiros!

Alessandra Alves disse...

Alguém saberia me falar dos efeitos do uso prolongado da Paroxetina no organismo? Pode haver perda cognitiva ou afetiva?

Gloria Simoni Furiati disse...

Eu tomo paroxotina a 3 anos e quando fico 2 dias sem tomar sinto um choque no corpo e sensação de cabeca leve parece que vou apagar do nada,e sinto náuseas mais agora fiquei mais tranquila ,ão tomar conhecimento dos efeitos colaterais, decidi para de tomar definitivamente,um abraço a todos ,Samos mais do que vencedores

Bruno Rentroia disse...

IMPORTANTE: Descobri como me livrar deste remédio!!!!!!

Pessoal, tomo paroxetina a uns 4 anos, doses de 20mg. Como é praticamente impossível para de uma vez, fiz o seguinte. Comecei a mandar manipular o remédio, e a cada mês, eu mandava manipular 1 mg a menos, até tomar apenas 1 mg no mês. Eu juro para vocês que isso dá certo, foi a unica forma que encontrei de conseguir me livrar. Falem com seus médicos para fazer isso.

Mas junto com isso me fortaleci bastante, comecei a praticar yoga, meditação e terapia. Acredito que esse conjunto de mudanças fazem toda a diferença para a transformação que precisamos na mente para organizar as nossa ideias!!

Espero que tenha ajudado vocês! Muita sabedoria a todos!!

Pucca disse...

Alguém aí toma , ou chegou a tomar 60 mg?

Prislayne Farias disse...

Faça uma terapia com Deus, coloque o joelho no chão clame a Deus pra te libertar ele é a única solução, eu tomei 2 dias apenas e desisti depois q descobri os males que faz... Eu busquei a Deus cm minhas forças chorei muito nos pés do senhor indo aos cultos e fui liberta, me sinto bem ao desabafar com Deus ! Faça o msm :) vc sairá dessa amigo.

Dé Duarte disse...

Pessoal, uma coisa é fato: todo tratamento tem hora pra começar e pra acabar, esse negócio de ficar tomando remédio a vida toda, é errado!!!
Assim tb como é errado, vc estar no meio de um tratamento e interromper bruscamente, isso pode custar sua vida.
Eu tomei paroxetina durante 2 anos, estava planejando engravidar no final de 2011, e no final de 2011 já estava com meu bb nos braços, então imaginem: tive que parar bruscamente, foi muito difícil, andava pela rua desorientada, com tontura, chorando, MAS ATENÇÃO, cada um é de um jeito, o que eu senti não significa que vc sentirá tb. Enfim tive meu bb e já não tomava, depois de um ano qdo parei de amamentá-lo voltei a tomar, só que como estava em casa, sempre esquecia, tomava dia sim dia não, esquecia dois dias, ai a cabeça começava a pesar eu ia e tomava, até que resolvi por contra própria reduzir de 20mg pra 15mg, passou um tempo comecei a partir o comprimido no meio. E ia nesse ritmo, dia sim dia não, até que resolvi parar de vez, senti algumas tonturinhas, mas foi super tranquilo, claro que fiz tudo com a orientação da minha médica. E me livrei!!! Mas uma coisa eu não posso deixar de falar aqui, muitos podem achar que é frase feita, que é papo de crente, mas o que me ajudou foi JESUS!!! Coloquei nas mãos dele, e pedi que me livrasse, pois não queria ser escrava de nada, queria ser livre para servi-lO e que Ele me curasse... E foi o que aconteceu, hoje estou a um ano mais ou menos sem remédios, e NUNCA mais tomo, pq. coloco toda a minhas causas nas mãos de JESUS!!! Confie em vcs, Confiem em JESUS e td vcs poderão!!!

Ana Paula Jandre disse...

Olá eu perder minha mãe vai fazer 4anos depois de 2anos tive uma depressão que se chama luto patológico. Fiz tratamento com psicólogos e comecei a fazer com psiquiatria! Tomei amytril por 9 meses me senti muito bem no começo. Fui fazer um retiro espiritual e la Deus falou comigo profundamente. Ele me curou da depressão e me disse que passaria por um processo! Saindo do retiro já estava decidida a ir ao psiquiatra e mandar ela retirar mais chegando la pedir outro remedio la me receitou o cilatopram. Nesse dia a noite passei com meus filhos e chegando em casa fui tomar o medicamento. Começou a fechar minha garganta e eu me bater toda tive uma crise alérgica que pensei que ia morrer! Fui correndo para o hospital e logo fui atendida tomando anti alérgico e ficando do balão de oxigênio. Lá Deus usou uma pessoa para falar comigo. E ela veio e Deus me disse porque não me deu ouvido? E Deus brecha para o diabo? Comecei a chorar! Ai ela disse Deus ja ti curou vai para casa quando sofrer de absitinencia seja forte. Fui pra casa fiquei muito mal indo todo dia para para o upa tomando anti alérgico, diazepam e doutrina muita febre. Hoje faço 4semanas ainda me recuperando muita ronteira, vômito quase não consigo comer, me deu várias aflitas na boca, acabou com meu estômago azia, Tô fazendo vários exames. Eu parei de tomar o remédio por conta própria e Deus sempre falando comigo seja forte estou te tratando. Pois no encontro ele disse que eu teria um processo e estou passando! Confiam no Senhor, ore escutem louvor ele está com todos vcs assim como ele está comigo. Melhoras para vcs Jesus ama vc.bjao Deus e bom o tempo todo

Unknown disse...

Olá, hoje é meu sétimo dia sem paroxetina (Paxil 20 MG) estou tendo choques, náuseas e fico meio boba durante o dia... normal são os efeitos. Mas preciso contar uma coisa que está me deixando MUITO FELIZ, quando eu estava em tratamento, de um ano, minha libido foi para -10 e gente, hoje eu tô muito doida, do tipo 4 orgasmos no mínimo a noite (desculpem pela forma de falar) mas tenho certeza que a falta de libido afeta muitos aqui. Olha, estou começando a acreditar no meu médico quando ele me disse "Você está totalmente curada da SP" Meu maior problema foi falta de libido, mas hoje no sétimo dia sem medicamento não posso ver um homem bonito na rua que já fico pensando em atacar ele. Socorro né kkkkkkkkk alguém já passou por isso gente?

Villani98 disse...

Olá, boa noite a todos.
Sou Oficial do Exército, comandei tropas no Haiti em 2012 e ao final da missão desenvolvi Síndrome do Pânico, uma forma aguda de Ansiedade. Em 2013 usei Bupropiona e não ajudava muito com os sintomas de ansiedade. Aliás, não desejo estes sintomas a ninguém.
Em 2014 comecei a tomar Paroxetina e resolveu muitos problemas. Ainda que eu tenha engordado dez quilos e nunca mais consegui retornar ao peso original. Creio que a Paroxetina ajude bastante contra os efeitos, mas desmamar do comprimido é realmente complicado. Tudo o que foi relatado acima no blog senti e muito mais. O remédio tem alguns efeitos colaterais chatos, como perda da sensibilidade sexual, tem-se a ereção mais o orgasmo é difícil alcançar. Pretendo deixar de tomar paroxetina por minha conta, pois nenhum psiquiatra que fui quer dispensar seu uso a médio prazo, somente a longo. Dizem que se deve passar seis sem crises para começar a desmamar. Uma dica q me deram e estou fazendo é meditação, ajuda a limpar a mente.
Boa sorte a todos em seus tratamentos.

CAROLINA SILVA disse...

Ola pessoal, sou Policial Militar e a seis meses a 10 meses passei por um momento muito difícil, tanto profissional quanto pessoal, não segurei a onda e fui diagnosticado com ansiedade, foi me receitado o pondera... e a saga começou, no inicio não entendia muito o que estava acontecendo comigo, até então nunca havia feito uso de medicamento controlado, a principio foi um choque, mas pra quem achou que estava com esclerose múltipla eu estava no lucro. Iniciei o tratamento e logo senti os primeiros efeitos, vomito, enjoo e o mais devastador deles a disfunção sexual, me passaram seis meses de tratamento, foi sacrificioso, mas admito que foi essencial para minha saúde mental, neste meio tempo as coisas não melhoraram muito, porém minha forma de encarar os problemas mudou, com certeza, por conta do uso do medicamento. Chegando a marca de seis meses, quando faltavam 08 comprimidos, resolvi diminuir pela metade a dosagem e estender o tratamento por mais 08 dias, com essa diminuição não senti muita diferença, os efeitos colaterais foram quase nulos e então chegou o dia de minha libertação, acabaram-se os comprimidos, estava eu preparado para o caos da descontinuação? CLARO QUE NÃO!!!!!
Na primeira segunda noite sem o Pandora Minha mente parecia uma tv 4k, tive sonhos tão realistas e intermináveis que fizeram de minha noite um martirio, quando acordei parecia que tinha tomado uma surra, no dia seguinte estava tão nervoso que nem me reconheci, graças a Deus estou de licença do trabalho... mudanças de humor repentinas foram minhas companheiras nessa jornada, dores de cabeça quase não tenho, mas sensibilidade na visão, confusão mental, tbm fazem parte dos sintomas de minha descontinuação. HOJE FAZ UMA SEMANA QUE ESTOU LIVRE DO PONDERA E DE SEUS EFEITOS, vivo normal, sem ansiedade, sem variações de humor, meus sonhos ainda me incomodam um pouco, mas nd que atrapalhe minha noite de sono. Nesse processo de desmame o que me ajudou muito foi atividade física, a ansiedade me alcançou num momento difícil, no qual estava estacionado em um sedentarismo sem precedentes, junto com o pondera comecei a malhar e correr, mesmo assim engordei 06 kg, mas me sinto muito bem e não quero voltar a tomar essas coisas por isso a três coisas que não abandono. Deus, Minha Família e atividade física. Tudo isso coopera para uma vida plena e feliz, um grande abraço e sejam fortes!!!!

Unknown disse...

Bom dia!! Desde sabado decidi por conta própria a parar de tomar o remédio, porque não quero viver dependente dessa droga, fazem dois meses que comecei a tomar por conta de uma ansiedade generalizada seguida de ataques de panico, horrivel não desejo pra ninguem foram os piores dias da minha vida, pesadelo sem fim. Então me sinto muito bem tomando a paroxetina, só que parece que não sou eu mesma, sempre fui muito sensivel "chorona" e ultimanete nada me abala pareço uma pedra, claro que se sentir assim é bom, mas não é verdadeiro.
Como tava falando sábado decidi tomar um dia sim e um dia não, meu médico nem sonha pq eu sei que ele vai brigar comigo. Tenho sonhos estranhos, tudo muito real, como se passasse um filme na mente, coisa bem louca, tonturas, dor de cabeça... mas de ontem pra cá to muito sensivél, chorei horrores ontem a noite, acordei com o olho todo inchado... e hj tenho vontade de chorar por tudo. Quero saber se isso é normal? Estar assim super sensivel!!!

Unknown disse...

Bom dia!! Desde sabado decidi por conta própria a parar de tomar o remédio, porque não quero viver dependente dessa droga, fazem dois meses que comecei a tomar por conta de uma ansiedade generalizada seguida de ataques de panico, horrivel não desejo pra ninguem foram os piores dias da minha vida, pesadelo sem fim. Então me sinto muito bem tomando a paroxetina, só que parece que não sou eu mesma, sempre fui muito sensivel "chorona" e ultimanete nada me abala pareço uma pedra, claro que se sentir assim é bom, mas não é verdadeiro.
Como tava falando sábado decidi tomar um dia sim e um dia não, meu médico nem sonha pq eu sei que ele vai brigar comigo. Tenho sonhos estranhos, tudo muito real, como se passasse um filme na mente, coisa bem louca, tonturas, dor de cabeça... mas de ontem pra cá to muito sensivél, chorei horrores ontem a noite, acordei com o olho todo inchado... e hj tenho vontade de chorar por tudo. Quero saber se isso é normal? Estar assim super sensivel!!!

Fabricio disse...

Olá,
Adorei esse site. Não porque eu precisasse de alguém para me relatar os sintomas... não por isso. Mas a verdade é que eu não sabia que havia tanta gente tentando parar. Acho que vi algo parecido quando parei de fumar há alguns anos, e foi muito bom encontrar grupos de apoio online. Excelente encontrar isso aqui.

Quanto a mim, sempre fui ansioso, mas tive a primeira crise de pânico em 2010. Como profissional na área de saúde, até que foi relativamente rápido relacionar a doença aos sintomas. Aí começou minha vida psiquiátrica.

Também tinha um tique nervoso terrível que eu administrava, mas é evidente que isso só agregava à minha ansiedade. Então, foram anos tomando 80 gramas de paroxetina e mais 100 gramas de topiramato, sendo que os 2,5 anos iniciais também usei clonazepam em doses variadas. Foi ótimo porque essa ansiedade tão elevada me prejudicava em muito, e eu nem percebia. Reaprendi a experienciar muita coisa na vida e a terapia ajudou muito a reconhecer alguns sentimentos que eu tentava engarrafar.

O mais fácil de parar certamente foi o Clonazepam. Sei que tem muita gente que adora e faz até uso recreativo dele, mas foi uma droga que apesar do que dizem, não me causou dependência alguma e foi muito fácil de largar. Acho até que por prudência o médico me fez tomar por mais tempo do que eu realmente precisava. Não o culpo por isso, afinal, melhor foi pecar pelo excesso nesse caso. Minha segunda crise de pânico foi tâo intensa que aprendi a aceitar e concordar com qualquer coisa que ele dissesse, porque fato é que depois que ele passou a me tratar, nunca mais tive uma crise, e já se passam 5 anos.

Também foi interessante porque quando a ansiedade generalizada aquietou, meu médico conseguiu diagnosticar meu Déficit de Atenção, fortemente mascarado pela ansiedade. Aí colocamos o metilfenidato, e podem dizer o que for, mas ele melhorou substanciallmente minha qualidade de vida. Minha esposa diz que sou outra pessoa, para melhor. Olá,
Adorei esse site. Não porque eu precisasse de alguém para me relatar os sintomas... não por isso. Mas a verdade é que eu não sabia que havia tanta gente tentando parar. Acho que vi algo parecido quando parei de fumar há alguns anos, e foi muito bom encontrar grupos de apoio online. Excelente encontrar isso aqui.

Quanto a mim, sempre fui ansioso, mas tive a primeira crise de pânico em 2010. Como profissional na área de saúde, até que foi relativamente rápido relacionar a doença aos sintomas. Aí começou minha vida psiquiátrica.

Também tinha um tique nervoso terrível que eu administrava, mas é evidente que isso só agregava à minha ansiedade. Então, foram anos tomando 80 gramas de paroxetina e mais 100 gramas de topiramato, sendo que os 2,5 anos iniciais também usei clonazepam em doses variadas. Foi ótimo porque essa ansiedade tão elevada me prejudicava em muito, e eu nem percebia. Reaprendi a experienciar muita coisa na vida e a terapia ajudou muito a reconhecer alguns sentimentos que eu tentava engarrafar.

O mais fácil de parar certamente foi o Clonazepam. Sei que tem muita gente que adora e faz até uso recreativo dele, mas foi uma droga que apesar do que dizem, não me causou dependência alguma e foi muito fácil de largar. Acho até que por prudência o médico me fez tomar por mais tempo do que eu realmente precisava. Não o culpo por isso, afinal, melhor foi pecar pelo excesso nesse caso. Minha segunda crise de pânico foi tâo intensa que aprendi a aceitar e concordar com qualquer coisa que ele dissesse, porque fato é que depois que ele passou a me tratar, nunca mais tive uma crise, e já se passam 5 anos.

Também foi interessante porque quando a ansiedade generalizada aquietou, meu médico conseguiu diagnosticar meu Déficit de Atenção, fortemente mascarado pela ansiedade. Aí colocamos o metilfenidato, e podem dizer o que for, mas ele melhorou substanciallmente minha qualidade de vida. Minha esposa diz que sou outra pessoa, para melhor.

(continuar)

fotos disse...

Olá gente boa noite! Eu tomo paroxetina a mais ou menos 1 ano e 3 meses tenho 25 anos e estou no desmame, comecei com 20 mg e reduzi para 10 desde junho, porém meu remédio havia acabado quarta feira passada, e eu teria que ter voltado para assim poder pegar o de 5 mg, porém como essa semana eu fiquei sem o remédio, fiquei super mal, com os olhos estranhos quando mudava o foco ele parecia que ficava tremendo, pesadelos e uma tontura inexplicável, voltei ontem no médico e voltei a tomar hoje, porém por mais 2 meses aí ele reduzirá a dose, alguém sabe me dizer se esses sintomas pela falta do remédio some agora qe voltei a toma-lo?

Waldinea disse...

Olá gente, tomei paroxetina durante uma semana sempre de manhã. No primeiro dia quando eu me deitava dava uma convulsão bem leve. No segundo dia quando eu me sentava voltava aquela tremedeira e falta de equilíbrio de novo, parecendo uma convulsão. No terceiro dia quando eu parava qualquer atividade voltava a tremedeira. No quarto dia já acordei com a tremedeira, tomei o paroxetina assim mesmo e a tremedeira continuou.
Então fui ao PSF falei com uma chefe de enfermagem ela disse para eu parar de uma vez com o medicamento. Só que eu preferi ir parando aos pouco. tomei meio durante uma semana e um quarto durante a outra semana. Mas a tremedeira continuou. Parei mesmo assim. Faz um ano e meio e ainda sinto a mesma falta de equilíbrio, tremedeira leve constante entre outras coisas. Tudo após a paroxetina. Se os efeitos passariam em 2 ou 3 semanas, alguém conhece fato de os efeitos terem durado mais que isso?

Ana Beatriz de Souza Martins disse...

Olá amigos...tomei a paroxetina (no meu caso o pondera) por seis meses por conta de uma crise de ansiedade que se transformou num TOC (compulsão por compras). Semana passada tive uma situação muito delicada no meu trabalho, onde vi de uma forma tão triste, mas ao mesmo tempo tão clara pra mim sobre o que eu vivo (trabalho com um dependente químico - excelente profissional, mas não pode ter dinheiro na mão que faz cagada. No meu coração mole, entreguei 50,00 pra ele pra completar o gás e ele gastou tudo numa boca de fumo). Isso me abalou de tal maneira que decidi por conta própria suspender totalmente o medicamento. Primeiro vieram os sonhos reais, tremores, suor...Agora estou na fase do terrível "tambor" dentro do ouvido, náuseas, tonturas. Gente não é fácil!Mas tenho fé que isso vai acabar. A vontade que tenho é só de dormir pra ver se passa logo isso. Estou com total apoio da minha família nesse processo de limpeza desse remédio, e estou no lema de viver um dia de cada vez. Força a todos nós!

Dário Longati disse...

Dário, eu tomo medicamentos para transtorno de vários tipos.
Comecei a tomar a tal de Cloridrato de Fluoxetina, mas o esperma saia junto com a urina, o meu médico achou melhor passar a tomar o tal e bendito do Cloridrato de Paroxetna. Fala sério, que transtorno, eu tremia mais que vara verde, tinha que me deitar e cobrir com coberto dobrado varias vezes e depois um calor que me deixava transtornado. Quando tomava banho, meu Deus, transpirava mais que uma garrafa de gelo colocada ao ambiente de muito calor, que loucura, meu Deus. Estou no nono ano seguido tomando este medicamento, comecei com 10 mg foi aumentado para 20 mg e depois 40 mg, cada intervalo era bem longo, a fim de adaptação, em resumo, hj tomo 20 mg após o café da manhã. Importante:- Comer mais vezes em menor quantidade, Temos normalmente três refeiçoes ao dia- Café da manhã, Almoço e o Jantar. Entre o almoço e o café da manhã introduza uma fruta ou coisa assim e entre o almoço e o jantar uma outra fruta ou coisa deste tipo, nunca ficar sem nada no estômago. Eu cheguei a andar com azeitona no carro para comer quando do tremor forte que me dava. Ainda tenho pesadelo, não é seguido, mas dias sim dias não eles voltam, com força total. às vezes tenho náusea, leve tremores, percebo que já está na hora de diminuir a dose de 20 mg, para 15 mg ou quem sabe, para 10 mg. Conclusão:- O libido diminuiu, mas eu tinha ejaculação precoce, dificuldade de ereção, agora não tenho mais, só a ereção ainda deixa a desejar um pouco, acredito ser o porquê a ejaculação demora muito à acontecer. Sou outro homem, graças a bendita Paroxetina, falei ao sério!

Dudu disse...

Só consigo comentar aqui na conta do meu marido, mas tudo bem.
Estou super nervosa, pois não sei se é da paroxetina ou o que é. O fato é que desde junho, passei a paroxetina de 25 mg para 12,5. Um pouco antes de diminuir a paroxetina, passei a ter exatamente os sintomas que alguém descreveu aqui: Se eu viro a cabeça ou olho para algum lado, ou mesmo movimento meus olhos, sinto uma sensação muito ruim. O que eu chegaria mais próximo de descrever seria uma tontura, mas não é, também não é uma sensação de choque, mas como se minha cabeça estivesse meio solta, como se a vibração do meu cérebro estivesse meio diferente. Resumindo, é como se eu levasse um mini susto ou sensação de pequeno impacto aos movimentos. Barulhos também, até o som da minha voz me incomoda, escuto tudo mais alto e me irrita, além de sentir minha cabeça congestionada, meio pressionada, sei lá. Alguém aqui sente algo assim também?

Vinícius Amaral disse...

Oi gente, meu nome é Vinícius e eu estou há alguns dias sem tomar o paroxetina. Tomei 40 mg por 1 ano porque tenho TOC. Quando eu me senti confiante, comecei a parar aos poucos. Comecei a tomar 30 mg diários, depois 20, depois 10 e agora nada. Achei que seria mais fácil já que eu não parei de vez (passei 1 mês diminuindo a dosagem), mas não está sendo. Tenho sonhos tão reais que nem sei explicar. Quando acordo parece que ainda to sonhando, que estou num mundo paralelo... não sei explicar. Além disso, uma tontura constante me acompanha e uns barulhos estranhos de vez em quando. Com fé e força eu consigo vencer.

Maicy Rodrigues disse...

Oi gente, me chamo Maicy e sou Psicóloga. Estudo há anos os transtornos de ansiedade e humor e venho convivendo com eles de todas as formas, sendo terapeuta e paciente. Decidi dividir essa jornada de lutas e vitórias através de um blog, além dos casos clínicos que acompanho. Esse site me ajudou muito e meu último post foi falando sobre a descontinuação da paroxetina. Obrigada por esse site e todos os depoimentos, é muito importante não nos sentirmos sozinhos nesse momento. www.tododiapsicologia.com

Dudu disse...

sensação muito ruim ao virar a cabeça ou mudar a direção dos olhos. Não é tontura, mas uma sensação de extrema sensibilidade ou pequenos impactos, não dá pra descrever.

Lucas Silva disse...

Lucas SP
Oi gente, principalmente quero dar os parabéns a todos pela força. São todos guerreiros!
Bom, meu caso é um tanto diferente. Fui diagnosticado recentemente com Síndrome do Pânico, algo que sempre senti, mas nunca entendi o que era.
No último mês as crises aumentaram muito devido a pressão no trabalho (sou gerente de vendas), então busquei ajuda e estou sendo acompanhado por psiquiatra e psicologo. Até ontem tomava 150mg de Sertralina, e 20mg de Quetiapina. Porém na consulta de ontem minha médica substituiu a Sertralina pela Paroxetina.
Porém a dose me assustou bastante, 60mg/dia, e após esse fórum percebi que é muito raro essa dosagem assim de cara.
Estou com muito medo de continuar o tratamento. Medo do rumo que as coisas estão tomando...
Alguém mais começou o tratamento nessa dose?
Fiquem com Deus e muita luz a todos!

Unknown disse...

Não estou suportando isso, parei com o remédio a 5 dias e estou enlouquecendo...
Essa noite não conseguia dormir, tive sonhos horríveis, minha mente está um lixão, não consigo parar de chorar... Se alguém puder me dar umas dicas... Lucianomarques18@gmail...
Por favor, orem por mim :/

Fabiano Moreno disse...

Boa tarde a todos.
A 04 quase 05 anos fui diagnosticado com síndrome de pânico e início de depressão.
Estava na época passando por uma fase complicada da minha vida, tinha 31 anos na época e imagino que não tive maturidade suficiente para resolver tudo e manter minha sanidade.
Passei uma semana terrível até ser diagnosticado, durante sete dias fui parar no hospital, sempre sozinho, uma vez com ajuda de polícias (pra quem pedi ajuda na rua), outra de ambulância pois passei mal no serviço; resumindo os sintomas, achei que iria infartar, dor no peito, braço esquerdo, aperto na garganta, dificuldades de respirar e andar, em consequência do desespero que senti minha pressão chegava ao absurdo de 18/14 (normal 12/08). Na primeira vez no hospital chegou ao extremo do médico achar com certeza absoluta que eu usava drogas e talvez aqueles sintomas fossem de abstinência ou de uma overdose. Todas as vezes era medicado com soro e diazepam, um remédio para baixar a pressão, faziam eletrocardiogramas e exames de enzimas para tentar descobrir se tive qualquer sinal de infarto e nunca encontraram nada.
Após sete dias seguidos indo ao hospital um medico disse que provavelmente oq eu estava tendo era uma crise de pânico, me aconselhou a ir ao psicólogo e psiquiatra, escutei ele e fui diagnosticado corretamente.
No início usei alguns medicamentos, Diazepan, Limbitrol, Sulpam e por fim o Pondera (Paroxetina), tomava de 08 a 10 comprimidos por dia.
Após 04/05 anos eu hj só tomo a paroxetina e de vez em nunca alprazolam de 0,5 mg e mesmo assim metade de um (0,25 mg).
Hoje ainda de vez em quando acho que talvez vá enfartar, mas sei que é minha cabeça me pregando mais uma peça, independente eu coma mais ou menos, faça alimentações corretas o meu peso não muda, desde que comecei a me medicar ganhei 20 kilos, de 84 kilos subi para 104/106 kilos (tenho 1,80m), nada mais nada menos, tive problemas com a líbido mas nada muito grave que não consegui superar e minha esposa tb me ajudou, compreendeu e ficou ao meu lado.
Lendo sobre meu problema tb descobri que praticamente tudo ou quase tudo se resume a liberação e recepção da serotonina ( http://www.minhavida.com.br/saude/galerias/13437-conheca-sete-funcoes-da-serotonina-no-organismo ).
Nunca fui santo e por isso já fiz e experimentei algumas substância na minha vida, dos meus 21 aos 25 anos foram anos acelerados, trabalho, academia, na sequência danceterias e raves, nunca fui de beber muito, minhas drogas preferidas eram ilícitas, LSD, Êxtase, Pop's, Especial Key, Anfetamina, Cannabis, como disse foram anos acelerados, após esses anos tomava algo esporadicamente e depois parei sem precisar de ajuda clínica, medicamentosa, nunca tive crises de abstinência por falta delas, mas todas essas que relatei influenciam com a serotonina e após anos acho que esses meus abusos influenciaram e muito na minha crise de panico e depressão anos depois. Não aconselho a ninguém usar nada do que estou relatando, noei caso não tive dependência, mas todas são viciantes e causam dependência.

Fabiano Moreno disse...

Continuando...
Hoje apenas fumo cigarro, um maço a cada dois dias mais ou menos, bebo uísque, vinho e batidas de vez em nunca, daria para contar nos dedos das minhas mãos as vezes que bebo por ano, já as drogas ilícitas eu nunca mais voltei a tomar nada desde a minha primeira crise de pânico a 04/05 anos atrás.
Desde 2013/2014/2015 tomava em média de 20 a 30mg de paroxetina por dia, agora no final cheguei a tomar 40mg dia por 06 semanas, depois 20mg dia por 02 semanas e estou sem tomar paroxetina faz quase 14 dias (desculpas, mas não me recordo com exatidão). Tive praticamente todos os sintomas de abstinência relatados após alguns dias (02/03 dias), menos vontade de se suicidar, câimbras, as demais sim, principalmente insônia, dores na nuca, choques pelo corpo, tontura, dores estomacais, azia, dissinteria, dificuldades para dormir, tremores, suores, hora está calor depois frio (praticamente uma tia avó na menopausa), bruxismo, sonhos e pesadelos, vista embaçada, crises de choro (se assisto comercial de margarina fico em pratos, soluços, sensível igual uma criança mimada de 03 anos), sensações péssimas e insuportáveis. Mas para minha surpresa desde ontem estou me sentindo um pouco melhor, não fico somente deitado, um pouco de dor na nuca ainda, um pouco de tontura e uma sensibilidade de tia avó indescritível, choro lendo a lista telefônica (absurdo).
Estou tomando 0,25mg de alprazolam pelo almoço e mais 0,25mg no jantar, acho que por este motivo consegui me manter calmo e não entrei em parafuso pela falta da paroxetina, tenho alprazolam para mais 06 dias, após isso espero conseguir ser forte para não precisar mais desses medicamentos.
Tenho ciência que meu problema é psicológico, nosso cérebro e capaz de nos curar, matar ou tirar nossa sanidade, por isso sei que agora após esses anos me tratando, lendo sobre o assunto, lendo declarações de pessoas que passaram pelo mesmo que eu, algumas muito pior, outras mais leve, acho que estou pronto para largar os medicamentos, espero ter força para não recair e ter que voltar para eles.
Espero que oq eu tenha descrito ajude alguém e peço que quer tiver a paciência de ler tudo e comentar para mim oq achou saiba que será muito importante, ler os comentários me dará força para su continuar lutando para lagar os medicamentos, superar essas crises que não são reais e dar para mim de volta a vida que eu já tive, perder esse peso extra que eu ganhei (20 kilos, vai demorar um pouco), devolver minha auto estima, disposição e confiança de que eu e Deus estamos no comando.
Obrigado a todos que estiverem dispostos a me ajudar.
Bjs e Abs.
Fabiano Moreno

Unknown disse...

O remédio funcionou para mim
Eu fiz o tratamento pois era extremamente tímido ao ponto de dar panico
Estou fazendo tratamento faz uns seis meses e não sou o mesmo, mudei e muito...
Na primeira semana foi difícil emagreci, perdi o apetite, inclusive o sexual e o remédio parecia não fazia efeito
Na segunda semana me sentia mais forte, mais feliz e determinado... a partir dai foi só melhorando, as pessoas falavam que eu mudei e pude sentir isso com toda clareza dentre de dois meses meu apetito voltou e sexual também.
Hoje faz dois meses dos seis que faço o tratamento que venho tentando parar porque já atingi minhas metas, a droga ja fez o efeito no meu organismo e acho isso ótimo, mas dai vem o problema ...
Parar o remédio e pagar caro pelas conquistas pois vc passa muito mal o choque no cérebro é o pior, estou diminuindo a quantidade, mais no ápice da crise de abstinência eu sempre tenho recaídas
Eu só queria dizer para quem pretende parar e faça isso devagar, não tenha pressa, pois quando a abstinência bate forte simplesmente se entrega a droga novamente e é impossível ter um controle absoluto, a menos que faça isso com toda calma do mundo
Abraços... e vcs tem o meu apoio obrigado

Unknown disse...

Eu tomo Paroxetina 30mg, mais de sete anos. Não queria ser escrava desta medicação, as vezes me pergunto: Será que vou ter que viver em função deste remédio minha vida inteira? Por algumas x baixei a dosagem para 20mg, tive suores noturnos, vertigem, pesadelos, insônia, mal estar e como conciliar tudo isso trabalhando na correria do dia a dia. Tenho vontade de engravidar, mas qdo penso em tudo o que vou sentir e ficar passando mal, desisto. Já teve episódios em que passei mal no trabalho, no ônibus, ter que parar o carro para vomitar. Não desejo isso para ng. pois é uma sensação horrível.

Teresa Costa disse...

Amém Tati 👏😁

Teresa Costa disse...

Bem eu tinha comentado aqui a minha historia,em resposta ao comentário da Tati e aí vi um comentário de alguém que estava livre desse medicamento e empolgada fui responder primeiro dando graças a Deus pela Vitória dela e quando fui voltar na minha , já tinha desaparecido 😁

Teresa Costa disse...

Tem razão Tati , realmente sair do ambiente que nos leva a esse tipo de situações não é o melhor pelo que passo a citar o que me aconteceu e porque tive que tomar o antidepressivo paroxetina.
Além de alguns problemas familiares que já se arrastavam a algum tempo também havia alguns no meu trabalho,Trabalhei numa empresa durante 5 anos e os dois últimos foram bastante difíceis , problemas contínuos no trabalho e no ano de 2013 após ter perdido meu pai comecei comecei com crises de choro e de ansiedade pelo que para tentar fugir de alguns problemas resolvi por baixa médica pois já não estava a aguentar tanta pressão no meu local de trabalho, em Março de 2014 entrei de baixa aconselhada pela minha médica, tomei alguma medicação que na altura ela me receitou mas que não me fazia qualquer efeito pois mesmo não estando no meu local de trabalho, mesmo assim todos os dias eu falava com o meu marido e filhos sobre situações do meu trabalho e o receio que tinha em voltar ao serviço, visto isso resolvi ir a uma consulta de psiquiatria no qual me foi receitado a paroxetina 20mg, inicialmente seria apenas um tratamento de 7/8 meses, receitando-me também medicação para dormir ( Milan 1mg) pois até as noites eram longas e nunca conseguia dormir durante muito tempo porque nessas situações parece que o nosso cérebro não para não é verdade?
Comecei a medicaçao só em Outubro, entretanto em fevereiro de 2014 voltei ao serviço mas como estava medicada até consegui fazer normalmente o meu trabalho sem me preocupar com algumas situações pois não sei se era ou não o efeito do antidepressivo, mas o que é certo é que algumas coisas que me faziam alguma confusão deixaram de o fazer, dando-me de alguma forma força para enfrentar algumas situações.
Passado os 8 meses de medicação resolvi parar mas de repente ao terceiro dia da paragem da medicação começo a sentir a boca seca, tonturas, visão turva, enfim todos esses sintomas que aqui foram referidos mas como não sabia do que se tratava decidi passar na farmácia para medir a pressão, pois tinha palpitações e fiquei assustada foi quando me perguntaram se eu tomava algum antidepressivo, eu disse que sim mas que havia deixado fazia 3 dias, então voltei de imediato com a medicação, entretanto este ano resolvi tomar coragem e pus minha carta de despedimento em Julho mas como estava efetiva na firma tive que dar 2 meses à casa ( foram 2 meses longos) entretanto após sair da firma pensei em parar outra vez com a medicaçao, comecei a tomar metade de um comprimido dia sim dia nao, passando depois de 3 em 3 dias mas os sintomas sempre lá ao terceiro dia já era complicado e como iria fazer uma formação fora da minha cidade durante 1 mês e meio e que exigia bastante concentração da minha parte resolvia tomar 10mg por dia, entretanto a formação acabou dia 13 e voltei para a minha cidade e como estou por casa e por enquanto desempregada e com bastante descanso resolvi fazer mais uma tentativa de parar com a paroxetina, já vou no meu quinto dia, não tenho tido alguns sintomas como tinha dantes, talvez por não estar em ambiente de stresse, mas visão turva, boca seca e alguma fadiga ainda sinto e o que me tem encorajado é ouvir aqui alguns testemunhos e saber que não estou sozinha nesta luta!
Com tudo isto quero apenas dizer à Ale que o princípio de uma boa recuperação é em primeiro lugar tentar se afastar de tudo que a oprime, quer seja familia, amizades e se juntar com pessoas que queiram o bem dela e que realmente se importem com ela se assim for possível, isso já é meio caminho andado e depois um dia de cada vez pedido sempre a Deus que nos Oriente , porque quem sofre de depressao, ansiedade, pânico etc. e for à procura de ajuda não é sinal de fraqueza, mas sinal que já foi forte o suficiente para aguentar um fardo demasiado forte!
Não sei bem ao certo mas penso que algumas pessoas aqui são brasileiras, eu sou natural de Moçambique, vivo atualmente em Portugal mas vivi 10 anos em São Paulo pelo que amo esse país 😁
Deus abençoe a todos e fico feliz por este blog e aprendi muito com todos vocês, beijos

Teresa Costa disse...

Verdade karina, eu como estou no 5 dia a tentar deixar a paroxetina tomo unilam 0,50 mg que penso ser da mesma família que o alprazolan para no caso de ter algum indício de ansiedade

NU.a disse...

Venho deixar minha experiência, não sou médico, longe disso.
Tenho síndrome do panico há mais de anos, já passei por todos os fármacos possíveis. Effexor, Tourest, Exodus, Clo, Paxil, Pondera, Socian, Lamitor e por ai vai. Meu ultimo antidepressivo foi o Paxil e no meu caso o pior de todos. Fiquei cinco meses tentando me adaptar sem sucesso. Tinha grande despersonalização e sensações bem ruins até que resolvi parar de toma-lo. Ai descobri este site e vi que não era uma coisa tão simples e fui fazendo como recomendado. Tomava 25 mg um dia e 12,5mg no outro durante uma semana, depois 12,5mg todo dia durante uma semana, depois 12,5 dia sim dia não por mais duas semanas. Mas não foi fácil, realmente o efeito colateral dele é bem ruim mas passa, só manter o foco. Eu tomava Olcadil ou Rivotril quando ficava muito forte os efeitos. Mas depois você fica bem se realmente tiver curado ou para começar outro tratamento como no meu caso. boa sorte a todos.

Felipe Rodrigues disse...

Tomei paroxetina por 1 ano e 4 meses para tratar sindrome do pânico , Hoje fazem 7 dias que parei de tomar sinto uma leve tontura ao mexer a cabeça , Tambem sinto um som de eletricidade dentro do ouvido ou cabeça ai virala para o lado. E o pior muito ansia de vômito dor no estomago , estomago embrulhado o dia todo.

espero melhorar logo :) e desejo melhoras a todos vocês

Fiz uma diminuição do remédio durante 2 semanas que não foi o suficiente na minha opnião mais já ajudou muito a diminuir esses sintomas de retirada horriveis.

Unknown disse...

Otimo Blog!! Tomei Amitril durante 1 ano e meio junto com aprazolam, pois fui diagnosticado com sindrome do panico e, estava indo tudo muito bem. Mas, alguns estresses fez com que eu viesse a ter picos muito forte de ansiedade e dores de cabeças horríveis. Estava praticamente todos os dias em um pronto socorro. Então, o doutor psiquiatra no qual consulto recomendou novamente um chek-up... fiz todos os exames da cabeça aos pés e nada encontrado... então foi ai que esse doutor resolveu me receitar Moratus (Cloridrato de Paroxetina), e quando comecei a usá-lo não passei muito bem, tive perda de apetite, enjoo, acordava no meio da noite, tontura e o principal pensamento suicidas, algo que nunca havia tido. E detalhe so conseguir usar essa droga de 10 mg por 11 dias... voltei ao doutor e o mesmo resolveu me tratar somente com aprazolam. Já tenho mais ou menos 2 semanas que parei de usá-lo e, pensamentos desagradáveis ainda surgem e acho muitas das vezes que estou perdendo a sanidade. Apesar do pouco tempo de uso dessa medicação, esses pensamentos e calafrios no estomago junto com queimação é efeito do desmame? Se alguem poder me ajudar sobre, muito obrigado. E desejo melhoras a todos. Abraços.

Ana disse...

Como a maioria já comentou, Graças a Deus encontrei este blog com informações e respostas. Tenho depressão profunda, junto com sentimentos de suicidas e sou compradora compulsiva. Faço uso de Cebrilin 20mg constante aliado à terapia. Tenho melhorado bastante, porém, fiquei sem a receita médica por falta de tempo de agendar o retorno no psiquiatra e o terror foi declarado. Tenho sentido formigamento nos dedos, tristeza profunda, choro intenso e logo na sequencia uma vontade de estar bem, bonita e ir comprar pra me sentir melhor. Minha cabeça está tonta, não me lembro das coisas que quero falar, pensamento totalmente lento, uma sensação horrível no ouvido e o coração batendo pelo corpo todo, como uma angustia permanente. Somente hoje consegui retornar ao médico e comprar novamente o remédio. Foram 5 dias de abstinencia e total loucura. Nem consigo imaginar ficar sem tomar a medicação.

Unknown disse...

Já estou a 2 anos na paroxetina comecei com 12.5 depois 25 e no auge 50mg hoje tomo 25 de manhã e a noite 6 MG me sinto bem mas as vezes a ansiedade e o pânico aparecem ..... nunca mais fui 100% mas garanto que me ajudou muito uso a 2 anos tbm esporadicamente o rivotril não viciei tomo só quando preciso fico semanas sem é quando preciso tomo máximo de 5 gotas amigos ru nunca me imaginei nessa de pânico aliás pra quem gosta eu assisti de 1 vez em 3 meses a saga completa dos sopranos e por incrível que pareça tive pânico no ano seguinte eu olhava o tony soprano tratando de pânico e pensava deve ser horrível isso .... 1 ano depois tava eu no hospital no diazepan e com encaminhamento para o psiquiatra que loucura.... mas hj me sinto melhor e comprei a coleção doa sopranos e assisto sozinho direto..... Tony hoje te entendo piadas a parte pessoal se tratem é possível viver bem

Amiga disse...

Faço uso da paroxetina a 4 anos, o meu maior problema é que estou engordando a cada dia que passa. Estou pensando seriamente em descontinuar o tratamento, agora após ler estes relatos irei consultar minha psiquiatra para ter certeza nesta decisão.

Thiago Valcanaia disse...

Tomei Paxil CR 25mg, por 4 anos, e estou a 15 dias sem... Está sendo uma batalha diária, mas me vi obrigado a parar devido ao ganho de peso... Passei dos 70kg para 98 nesse tempo... A uns meses atras baixei a dosagem para 12,5mg e perdi modestos 8kg, mas decidi que ja era a hora de parar definitivamente...

Eduardo Luzarde disse...

Olá meu nome é Eduardo Tenho 23 anos, Fumo maconha a 9 anos já tive síndrome do pânico a uns tempos atraz e larguei medicações bruscamente e fiquei tomando propranolol durante anos foi o único que continuei tomando dos remédios que larguei, parece que ele aliviava minha mente,mais na verdade descobri que ele abaixava os batimentos cardíacos e a maconha subia,tive um acidente de moto devido a isso,apaguei derrepente em cima da moto me machuquei após o uso de maconha e propranolol,fiquei com síndrome do pânico forte não conseguia mais andar de moto e também não consigo mais fumar porque fiquei com medo e estou fazendo o uso de paroxetina 15mg no começo do tratamento fumei um anoite não me contive e fui parar todo trêmulo no hospital e tive que tomar diasepam,nao estou gostando do uso de paroxetina eh muito ruim,será que se eu parar de voltar a fumar dois baseados por dia como fazia vou passar mal? detalhe... meu médico pediu para q eu tomasse a medicação após a janta. o que devo fazer? estou ansioso para fumar novamente mais não sei o que pode acontecer porque quando fumei fazendo o uso do remédio quase tive um infarto meu coração quase salto pela boca. caramba não sei se paro de usar e volto a fumar não sei se uso de manha e fumo anoite não sei se passei mal porque tomei o remédio anoite e fumei anoite...! são tantas incógnitas shaush tá dificel viu mente confusa. ele tem me ajudado mais queria ter minha vida saudável novamente. saudades de fumar andar de moto sentir o vento no rosto ficar ateh mais tarde na rua sem sono!

alexandre dias disse...

Tomei paroxetina por dois anos. Parei de uma vez e tudo voltou. Então tomei mais um ano e, felizmente, tive forças para mudar quase tudo à minha volta e, principalmente, minha forma de reagir às adversidades. Aí sim, passei a tomar dia sim dia não por um mês, depois parei. Já fazem três anos que não tomo e não sinto falta. Alexandre

Dênnys disse...

Senti a mesma coisa

fatima rondon disse...

Depois de ter feito vários exames para labirintite procurei um neuro que me passou paroxetina e clonazepam. 15 dias depois fiquei normal. As crises que achava que era doença do labirinto sumiram na verdade eram problemas neurológicos. Cheguei a entrar na síndrome de pânico. Usei o medicamento uns 2 anos. Achei que estava bem e parei com o remédio. Meu Deus! O que foi aquilo que senti. No meu trabalho achei que ia morrer me deu uma crise de choro do nada meu humor mudou fiquei péssima voltei a tomar e tudo passou no dia seguinte. Por minha conta passei a tomar 0,25 de clonazepam 10 MG de paroxetina. Acostumei
Agora comecei há 1 semana a tomar o medicamento dia sim, dia não. Está uma barra. O dia que não tomo fico com um humor péssimo inquieta, insatisfeita, enjoada, com dor de cabeça , tonteira sem ânimo para nada... E outras coisas mais mas como já li nos comentários os sonhos são terríveis pesadelos, acordo no susto, boca seca, coração disparando, é horrível mesmo. Vou tentar me livrar, mas é uma barra

Jacked disse...

Passei pelo pior sintoma que foi a despersonalização em 7 semanas , sim demora muito nesse periodo tenho tomado omega 3 e acredito ter ajudado muito a não demorar ainda mais. Então se você está tendo despersonalização nesse periodo não fica sem experança isso vai passar
mesmo demorando. Os sintomas mais " leves " como tontura . ansia , sonhos , zumbido cabeça ao virar os olhos passam em 5 semanas até mesmo em 4. O importante é nesse periodo nutrir seu corpo com vitaminas , oleos , aminoacidos e outros nutrientes que o corpo precisa para se recuperar das mudanças feitas pela paroxetina.

Fernando Costa disse...

Já tomei muitos medicamentos e inclusive gosto muito de ler sobre o assunto, pois tem me ajudado a reconhecer o tamanho do problema e a minimizá-lo. Esqueçam livros de best sellers como Augusto Cury. Leiam "Meus tempos de ansiedade": medo, esperança, terror e a busca da paz de espírito, escrito pelo jornalista Scott Stossel e recém-lançado no Brasil pela Companhia das Letras. É excelente !!! É o melhor livro que já li. Ele explica muitas coisas sobre o duelo Médicamentos X Terapias.
Vocês vão aprender muito, pois o autor ficou 8 anos pesquisando sobre a ansiedade para escrevê-lo. Fica a dica.

Nice disse...

Experiencia própria qualquer medicanento para transtorno psiquiátrico que desejar parar de usar ,tem que ser fracionado na sua miligrama ( por exemplo se toma um comprimido de 20mg, fracione o comprimido(fracione o comprimido em 8) tome 7fraçoes por 5 dias e proximos 5 dias tome 6fraçoes e assim sucessivamente e paralelamente vamos ventilar o celebro ,varias vezes ao dia com respiração enchendo o pulmão ate o diafragamo e soltar o ar devagar ( principalmente quando sentir panico e fazer movimentos aeróbicos( principalmente neste período de tirar a medicaçao)se não frequenta academia de ginastica improvise : pule corda,caminhe dentro do ambiente que se encontra,pule abrindo os braços( são exemplos para ajudar o sangue circular e oxigenar o celebro)pense em movimento.

Unknown disse...

Bom dia a Todos!
Primeiramente gostaria de parabenizar todos os envolvidos deste site, desde os criadores até nós que estamos comentando aqui.
Vou falar especificamente do remédio qual estava tomando, Pondera (Paroxetina), comecei tomando 10mg e após duas semanas passei para 20mg, e tomei cerca de 4 meses, no fim desse período baixei a dose para 10mg e em seguida para 5mg (Cortando o comprimido ao meio) e comecei a sentir especificamente esse sintoma de difícil explicação, aquela "dor" atrás dos olhos ao virar rapidamente, após isso veio o esquecimento, dificuldade ao encontrar palavras, e agora já faz dois dias que toda manhã estou tendo cólica e diarréia. Parei totalmente com ele faz 5 dias. Gostaria de saber de alguém que já teve diarréia como eu ou esses outros sintomas, tem uma média de tempo para que esses sintomas sumam de uma vez?
Muito Obrigado e felicidade a todos!

Anônimo disse...

Oi, tomo paroxetina a menos de um ano, uns 8 meses e tentei parar abruptamente agora, hoje faz 3 dias que eu não tomo, e estou me sentindo péssima, chorando sem parar, alto nível de stress, tontura e um pouco de enjôo, estou pensando em voltar a tomar e procurar ajuda médica para a descontinuação, esse blog me ajudou muito, em vários momentos achei que estava com algum problema muito sério.

Unknown disse...

Olá.... Estou nesse processo de descobrir que o que eu tenho é síndrome do pânico, comecei a uma semana com medicação, Pondera 20 MG, Ansitec e Rivotril.... Morro de medo de ficar dependente disso tudo, mas não aguentava mais, crises horríveis, me sentia uma bomba relógio.. Quero sair dessa.... Isso Sta acabando comigo, sempre fui muito independente agora tenho medo de tudo.... Que livros você lwu sobre controle da mente, podes me indicar?! Obrigada

Raquel Raki disse...

Olá... Me identifique muito..... Quais livros de controle da mente VC leu?!

RG disse...

Parabéns pela iniciativa. Foi um grande alívio hoje descobrir este site e todos os relatos praticamente idênticos ao meu, em relação à descontinuação. Mas sem sombras de dúvidas a melhor frase de todas foi a sua "...sensação estranha que, por falta de palavras, sou obrigado a descrever como tontura. É uma sensação muito estranha na cabeça...". Realmente não dá pra descrever para uma pessoa que nunca tenha sentido isso, e também me faltavam palavras, logo eu que sempre descrevi tão bem cada sintoma ou dorzinha no meu corpo! Também estou sentindo enjôo e uma vontade incontrolável de chorar muito. Por enquanto, só! Tomei a Paroxetina por 2 anos, pela segunda vez, num espaço de mais de 10 anos. Precisei numa crise de estresse extremo, com muitos acontecimentos sérios e simultaneos, onde não consegui segurar a barra sozinha. Durante todos esses 2 anos tomei 10 mg. Há 6 meses já me sentia bem pedia ao médico para parar, mas ele claramente não tinha interesse nisso. Há 20 dias o médico, mesmo contrariado, começou o desmame com 5mg diarios. E há 3 dias, estou tomando em dias intercalados até zerar. (dia sim, dia nao, dia sim, 2 dias nao, dia sim, 3 dias não e etc). Após o primeiro dia "não", começaram esses sintomas todos juntos. A "tontura" achei que fosse pelo calor que tem feito e/ou pressão baixa. As náuseas, pq talvez tivesse comido algo que não caiu bem e a vontade de chorar, foi o que mais me preocupou na verdade, por medo de recaída (conforme o médico tanto ameaçava). Hoje a tontura piorou e resolvi pesquisar. Muito obrigada por compartilhar todas essas informações e por me fazer sentir completamente compreendida. Infelizmente não fui alertada para a possibilidade desses sintomas. E tenho certeza absoluta que não é uma recaída, para a infelicidade do meu médico. Agora é aguardar essa desintoxicação e rezar para que acabe logo.

Flavio Oliveira disse...

Faz quatro meses que deixei de toma paroxetina esta volta n do tudo de novo tremo fraqueza cabeça vazia sem dormi muito ruim vou começa de novo vejo que não vivo sem o paroxetina

Carlos jose disse...

boa tarde

tudo começou em 1986 qdo por anos tive arritmia, não podia nem pedalar uma bicicleta que coração sai pela boca e tinha aquele descompasso no coração comecei tomar remédio propranolol, em 1993 comecei a ter muita dor no peito fiz todo tipo de exame cardiológico eu passava muito mal,tinha uma namorada desde 1989 no qual casei em 1994 minha vida era um sofrimento e levava essa pessoa junto comigo sempre ao meu lado no médico me sentia bem ela do meu lado, em 2001 tive uma crise mais aguda acompanhada de choro e tremulo fazendo com que não não conseguisse trabalhar direito, fui levado para medico no qual me receitou CEBRILIN e calmante RIVOTRIL tudo que tinha passado anos com angustia , medo, passou assim em um piscar de olho não tinha mais medo ,meu coração já não apresentava arritmia, parecia um menino que tinha acabado de abrir o olho chegou ao topo onde queria viver a vida intensamente.....e isso foi o começo do fim onde perdi casamento, casa , emprego, tudo por achar que era o super homem, aquele homem responsável virou uma criança que queria brincar...gente passei do jeito que o diabo gosta ...desculpe a palavra mas é necessário falar....cai num abismo que não tinha fim, eu tomava remédio mas aquilo não mais me levantava , meses e meses para ter uma luz no fim do túnel, consegui emprego , consegui uma moradia e isso me ajudou aos poucos sair do fundo e ver a luz, agora tinha outro problema depois de muita irresponsabilidade tive acidentes de moto no qual a ultima me deixou uma sensação de arrepios diários como se fosse morrer, eu ainda estava tomando remédio mas com medida de 10mg fui ao medido depois passar por tudo e em mais de 14 anos de indas e vindas com o remédio hoje tomo 20mg paraxetina rivotril faz 10 anos que parei, tenho uma vida estável, mas todos sabem o que é tomar esse remédio a gente se torna um *zumbi* e perda de desejo sexual...o que fazer parar e voltar a sentir tudo de novo tenho medo ,muito medo...deus me ajude

nossostextos disse...

Boa noite! Parei sem desmame com a Paroxetina após 2 meses de uso contínuo. Faz 12 dias que estou livre dela. A semana passada foi bem pesada: diarréia por quase três dias. Consultei-me com um excelente homeopata que me recomendou um remédio para atravessar os piores dias com o desarranjo de intestino e outro remédio que irá funcionar como um depurativo no corpo, tirando dele a necessidade da droga. Hoje os últimos três dias foram bons, voltei a dormir naturalmente, graças a Deus, pois pedi muito a ele que me ajudasse!!!!Espero estar chegando ao fim disto tudo. Se a depressão voltar, pretendo usar a psicologia e homeopatia para me ajudarem. Desejo boa sorte a todos.

Unknown disse...

Tenho ansiedade e pânico e tomo paroxetina (Paxil 25mg) há um ano e dois meses. Não tive muita evolução. Consultei outro Psiquiatra e ele me receitou Sertralina 50mg e paralelamente fazer a redução da Paroxetina. Nas duas primeiras semanas cortei o comprimido ao meio. Senti algum desconforto, mas pouca coisa. lembro que só um episódio de ansiedade mais severa. Na semana que comecei a tomar um quarto do comprimido comecei a ter maior desconforto: diarreia, ansiedade mais constante, dor no peito e de cabeça, taquicardia, alterações na pressão,crises de choro, tristeza, desânimo. Quando li os relatos, não acreditei que fosse passar por tudo isso porque estou fazendo a redução aos poucos. Meu Psiquiatra já havia falado que esse medicamento é muio ruim, pois causa a dependência. Achou estranho a outra psiquiatra ter me prescrito. Sei que não é fácil, mas sou mais uma nessa luta. Se alguém quiser trocar alguma ideia, estou por aqui. Muita luz para todos nessa jornada!

Unknown disse...

Bom dia ,gostaria de manter contato com vcs que estao parando com a paroxetina ,hj fazem 12 dias que nao tomo o medicamento,e com esses dias diversas reaçoes,meu email adrimancha@hotmail.com ,seria muito bom saber se as reaçoes que estou sentindo é igual a de vcs ,obrigada

Ana Beatriz de Souza Martins disse...

Oi gente! venho mais uma vez relatar sobre a minha luta. Decidi em setembro parar por conta própria com o Pondera de 30 mg...fiquei 10 dias sem o remédio por conta própria e digo que foi 10 dias de cão! Pedi socorro pra médica porque não estava aguentando ficar sem (parei de uma vez a medicação, fiz muito errado). Voltei a tomar e parece que finalmente o remédio estava fazendo efeito! Sofro com compulsão por compras e tomava o medicamento desde dezembro de 2014. Comecei com o ESC, depois no roxetin e encontrei o Pondera. Tudo o que eu mais desejava era que o remédio funcionasse como funcionou no começo (fiquei num estado de letargia total, mas sem nenhum pensamento compulsivo). Só que até então não percebia que o maior erro estava em mim! Eu me sabotava!Tomava a medicação e não mudava meus hábitos. Resultado: tomava remédio mas não melhorava. Depois de muita terapia (faço acompanhamento semanal com a psicóloga), comecei a entender que eu tinha que mudar, cabia a minha mudar minha rotina. Meu maior sonho é ser mãe, e não quero correr o risco de engravidar tomando a medicação. Depois de trocar de psiquiatra (a primeira só queria me dar a medicação - parece que eles só querem se livrar do "problema paciente"), a segunda médica me olhou nos olhos e perguntou: você está bem, quer parar?E eu na maior convicção disse que sim, porque senti que estava ficando dependente desse remédio; ela me deu os passos para fazer o desmame, fiz de acordo com o que ela me orientou. Hoje é o meu quarto dia sem medicação nenhuma e estou sentindo todos os efeitos possíveis e imagináveis do desmame: muita dor de cabeça, tontura, enjôo, uma sensação inexplicavel quando mudo a direção do olhar, uma "batida" no ouvido, irritação extrema, mudança repentina de humor.Tenho fé que daqui a seis semanas estarei limpa e sem sintomas. Vamos ter força amigos!

matheus alves disse...

A Paroxetina pode acabar com o suor em excesso

Wallace Pantoja disse...

Boa tarde, pessoal, tenho lido este blog porque estou no processo de desmame do pondera que tomei por dois anos com acompanhamento médico e agora estou deixando (10 mg, dia sim dia não, depois dia sim e dois dias não... onde estou agora). Tenho sentido uma dificuldade para dormir (tive síndrome do pânico e depressão, o que me fez tomar gotas de clonazepan que eu tomava antes), mas o que mais me incomoda são como picadas no corpo meio do nada, nas pernas, braços, as vezes no rosto; além de uma vontade de chorar. Sobre as picadas (não é bem um choque como dizem aqui) será que é parte do desmame? Muito obrigado a todos.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 225   Recentes› Mais recentes»

Postar um comentário